23 dicas para não passar perrengue ao se hospedar pelo Airbnb

Escrito por Bárbara Cristovão

Certamente, você pelo menos já ouviu falar no Airbnb, uma plataforma que facilita o aluguel de temporada de residências ou quartos em todo o mundo. A negociação é feita diretamente entre o dono da casa (anfitrião) e o inquilino temporário (hóspede), sendo que o Airbnb faz a mediação disponibilizando anúncios, sistema de avaliação, serviço de mensagens e muitas outras ferramentas para tornar possível essa troca de experiências.

E é justamente essa a grande vantagem de se hospedar pelo Airbnb: você terá uma experiência muito mais real do que é viver na cidade que está visitando. Outra vantagem é que, muitas vezes, o preço cobrado é bem menor do que o de hotéis e a variedade de acomodações é muito maior. Você pode pagar por um quarto compartilhado com outras pessoas, um quarto inteiro só para você e seus acompanhantes, ou ainda alugar uma casa inteira, sem dividi-la com ninguém além das pessoas que viajam com você.

E, quando falamos em “casa”, estamos sendo bastante genéricos: pode se tratar de apartamento, pousada, casa de campo, castelo, casa na árvore, barco, trailer, cabana ou até um sofá para dormir na sala.

Mas, como saber se não estamos entrando em uma “furada” ao alugar um espaço em uma cidade que não conhecemos? E se o proprietário não for uma pessoa confiável? E se o lugar não for nada daquilo que mostrava o anúncio? Para te ajudar nessa tarefa, listamos algumas dicas para você ficar de olho na hora de usar o Airbnb e evitar as situações de perrengue que podem acontecer.

1. Faça seu perfil e comece a busca por um lugar com antecedência

Se você está pensando em se hospedar em algum lugar pelo Airbnb, comece já a fazer o seu perfil. Comece também a pesquisa pelos locais disponíveis para o seu destino, mesmo que ainda falte meses para ir lá. Quanto mais você se preparar e pesquisar, melhor, portanto não deixe para fazer tudo dias antes da viagem.

2. Não deixe para fazer a reserva em cima da hora

O sistema de reserva no Airbnb pode ser mais demorado do que o de um hotel, pois é preciso esperar aprovações, combinar sobre como pegar chaves e tudo mais. Por isso, evite fazer reservas em cima da hora — além de que, certamente, os melhores lugares já estarão tomados por quem se planejou com antecedência.

3. Tenha um perfil atrativo

Essa é uma dica que vai ajudar a convencer anfitriões a aceitá-lo. Tenha um perfil completo, com todas as verificações possíveis (email, telefone, facebook, documentos oficiais), fotos que mostram bem o seu rosto e, de preferência, fotos em que você esteja sorrindo, pois isso inspira mais simpatia. Vale a pena investir em uma boa descrição sobre quem você é, o que faz e seus interesses. Para quem está começando e não tem nenhum comentário de anfitrião, é uma boa pedir para amigos que estão na rede fazerem uma recomendação sobre você.

4. Aprenda a usar a ferramenta de pesquisa

O Airbnb tem uma ferramenta de pesquisa bastante detalhada, que permite que você encontre uma hospedagem mais próxima possível do que deseja. Ela permite inclusive que você restrinja a sua busca a “superhosts”, ou seja, proprietários experientes no sistema, com reiterados comentários positivos e resposta rápida das dúvidas dos interessados. Procurar por essas pessoas pode ser um bom começo para quem está entrando na rede agora.

Gaste um tempo brincando com a ferramenta de busca e use também o mapa na lateral direita para restringir a localização que procura. Só assim aparecerão os locais que realmente vão te interessar. Se você sentir que colocou restrições demais e que não aparece quase nenhuma opção interessante, tire alguns filtros.

5. O preço final é o que importa

O preço final também é algo importante nessa busca: não fique impressionado com o valor que aparece no mapa ou na tela de pesquisa, pois isso é apenas uma referência. Para saber o quanto realmente vai pagar, coloque quantas pessoas vão se hospedar com você e as datas de entrada e saída. Não se esqueça que há uma taxa de limpeza cobrada por alguns proprietários e há também a comissão do Airbnb. A soma de tudo isso será o valor final da hospedagem.

6. Tenha calma na hora de escolher um local

Mesmo que as opções disponíveis para o seu destino sejam bastante animadoras, você precisa refrear a vontade de reservar a primeira acomodação que aparecer. Há muitos passos para se seguir antes de fazer a reserva, então não saia confirmando com o primeiro que encontrar.

7. Leia com atenção os anúncios

Preste atenção em tudo o que está incluso na estadia e tenha especial atenção ao que não está incluso. Leia as regras da casa e proponha-se a obedecê-las ou procure outro lugar para ficar. Tire dúvidas sobre questões que não ficaram claras para você.

8. Observe bem as fotos

Observe se as fotos são claras e mostram bem se o local é limpo e arejado. Dê preferência para locais com fotos feitas por fotógrafos profissionais do Airbnb, disponíveis para os proprietários das cidades mais procuradas. Essas fotos têm a legenda “foto verificada”. Assim você tem certeza de que o que vê ali é o mais próximo possível do que há naquela acomodação.

9. Preste muita atenção nas avaliações anteriores

Leia todos os comentários sobre os locais em que você está interessado, pois eles são uma verdadeira mina de ouro. Apenas pessoas que realmente pagaram e se hospedaram ali podem comentar, ou seja, não tem fraude. Hóspedes anteriores poderão lhe dar detalhes sobre o local, o bairro e o anfitrião, com informações preciosas que podem não estar no anúncio — já que o anúncio vai tentar sempre ressaltar os pontos positivos das acomodações.

Por outro lado, relativize também os comentários negativos: muitas vezes, o hóspede não entendeu a ideia do Airbnb e esperava ser tratado como se estivesse num hotel com serviço de quarto, ou não pesquisou adequadamente sobre o local, criando expectativas irreais. No entanto, se a casa tem repetidas avaliações negativas, desconfie e busque outra.

10. Veja se o anfitrião tem todas as verificações de identidade

Tanto quanto é bom para os anfitriões que você tenha todas as verificações de identidade feitas, também é bom para você que ele as tenha. Se for o caso, peça que ele faça as verificações que faltam no perfil.

11. Pesquise sobre a localização

Saiba qual a distância da hospedagem até os pontos que você quer visitar na cidade. Será que vale a pena ficar num local mais afastado e, por isso, mais em conta, ou é melhor pagar mais por uma acomodação mais bem localizada? Você terá que pesar esses prós e contras, sempre tendo em mente o que é mais importante para você.

Avalie também as opções de transporte público nas redondezas: hoje em dia, o Google Maps diz os ônibus, metrôs e trens presentes em praticamente qualquer lugar do mundo. Se for alugar um carro, tente ver uma acomodação que tenha vaga para estacioná-lo. Procure saber se há, próximo dessa residência, mercados, farmácias, padarias, bancos ou qualquer outro estabelecimento a que você acha que precisará recorrer.

Procure saber se há locais que vale a pena conhecer no bairro onde pretende ficar: você pode terminar descobrindo um tour alternativo bastante interessante. Nessa linha, use o Street View do Google Maps para dar uma investigada na vizinhança e fazer um passeio virtual pelas redondezas, imaginando se você se sentiria à vontade e seguro por ali. Faça tudo isso com o endereço aproximado do anúncio (você só saberá o endereço exato depois de fechar a negociação).

12. Contate o anfitrião antes de fazer a reserva

Espere que o anfitrião, depois de algumas conversas, confirme se vai aceitá-lo como hóspede e, só então, faça a reserva. Ele tem o direito de recusá-lo, ainda mais se você fizer a reserva sem nem conversar, então é melhor evitar o risco de causar uma má impressão. Pense que essa pessoa vai deixar você, um estranho, ficar em sua casa, então ela vai querer conhecê-lo antes de aceitá-lo.

13. Entre em contato com mais de um anfitrião

Faça uma lista dos locais que mais lhe agradaram, usando o sistema de “whish list”, e entre em contato com seus anfitriões. Tire dúvidas sobre a acomodação, pergunte se o local estará mesmo disponível na data da sua viagem (o calendário do anfitrião pode estar desatualizado) e até chore por um desconto. Essa é uma boa oportunidade para ver o tempo de resposta: se a pessoa demora muitas horas ou dias para lhe responder, é um sinal que ela pode não ser tão atenciosa como anfitriã, quando você realmente precisar.

Aqui vai uma dica importante: sempre use o sistema de mensagens do próprio Airbnb. Para a sua segurança, evite negociar a estadia ou resolver problemas por outros programas de mensagens ou redes sociais.

14. Pergunte sobre tudo o que você vai precisar usar

Tire um tempo para pensar em tudo o que você precisaria para viver alguns dias em um local que não é a sua casa e se pergunte se essa acomodação vai lhe prover isso. Faça uma lista. Por exemplo, se você vai cozinhar, procure saber se terá os utensílios básicos de cozinha; se vai para um lugar durante o inverno e detesta passar frio de noite, pergunte sobre o aquecedor.

Às vezes as coisas que parecem ser as mais óbvias não estarão disponíveis, como travesseiros, toalhas e cobertores. Você poderá usar a máquina de lavar e haverá produtos de limpeza disponíveis para isso? Não presuma nada e pergunte sempre sobre esses itens de uso diário.

Dito isto, seja cordial nessas perguntas e não uma metralhadora com uma lista de requisições, principalmente na primeira mensagem — isso pode gerar antipatia.

15. Meça suas expectativas: isso não é um hotel

Entenda bem o objetivo do Airbnb: alugar temporariamente a casa ou quarto de alguém. Não se trata de um serviço de hotel, onde você terá um atendente 24 horas disponível para resolver os seus problemas (se o chuveiro queimou e você tiver alugado a casa inteira, provavelmente terá que resolver sozinho).

Você não terá alguém para limpar seu quarto todos os dias, nem para fazer suas refeições. O seu anfitrião, apesar de poder lhe dar algumas dicas, não será seu guia turístico na cidade, nem será sua babá. Por outro lado, algumas dessas coisas podem acontecer, caso o anfitrião se coloque à disposição no anúncio.

A casa onde você vai ficar não será um palacete: será uma casa comum como a sua, com, por exemplo, algumas coisas entulhadas em um quarto não muito usado ou cacarecos na estante da sala.

16. Não proponha, nem aceite fazer o pagamento fora do site

Isso viola os termos de uso do Airbnb e pode resultar na sua expulsão da comunidade, além de colocá-lo em uma situação de maior vulnerabilidade a fraudes. O Airbnb tem a política de pagamento ao anfitrião depois de 24 horas do seu check-in, o que lhe dá tempo de fazer reclamações e pedir reembolso, caso ocorra um problema.

17. Tenha anotado os contatos da pessoa que vai recebê-lo

Tenha anotado no celular (em um aplicativo que não dependa de internet para ser acessado) o endereço e telefone de seu anfitrião. Tenha isso também em papel, para o caso da bateria do celular acabar. Saiba quem vai recebê-lo na casa, se será o anfitrião ou outra pessoa (nesse caso, tenha o telefone dela também). Uma dica é, depois de tudo fechado para a hospedagem, ter o número do Whatsapp ou Viber do proprietário para caso de emergência.

18. Não leve mais gente do que o combinado

Se você reservou o local para três pessoas, não leve cinco, e pergunte antes ao anfitrião sobre trazer convidados à casa.

19. Avalie se o Airbnb é mesmo a melhor opção

Algumas cidades podem ter poucas opções de hospedagem pelo Airbnb e nenhuma que lhe agrade nas datas da sua viagem, ou talvez você queria ficar apenas uma noite em uma cidade e geralmente os anúncios exigem estadia mínima de duas ou três noites. Pesquise sempre essas condições e compare com preços em sites que reúnem ofertas de diárias de hotéis, como o Booking, Hoteis.com ou o Trivago. Airbnb não é a solução para tudo, então busque sempre o melhor negócio.

20. Saiba tudo sobre as condições de cancelamento

Antes de fechar negócio, observe as condições de cancelamento definidas pelo anunciante. A política mais flexível permite o cancelamento até um dia antes do check-in sem pagamento de multa, mas as políticas moderadas e rigorosas dão reembolso de apenas 50% do valor pago, dependendo da antecedência do cancelamento — e há inclusive prazos de cancelamento em que não há reembolso nenhum.

O mesmo vale para a saída antecipada: há políticas que não permitem o reembolso de diárias não usadas. Portanto, para não perder dinheiro, preste atenção em tudo isso antes de fechar a reserva.

21. Saiba que o anfitrião pode cancelar de última hora

Há relatos de pessoas que já estavam no meio de sua viagem internacional, há poucos dias de chegar ao destino com uma acomodação alugada no Airbnb e o anfitrião cancelou a reserva. Isso pode mesmo acontecer e, no caso, você poderá transferir seu pagamento para uma nova reserva no Airbnb ou ter todo o dinheiro ressarcido.

Tenha em mente que, infelizmente, o Airbnb protege mais os proprietários do que os hóspedes em diversas ocasiões. Um exemplo disso é a garantia de US$ 1 milhão de seguro para o anfitrião, caso aconteça algo com a casa ou pertences durante a estadia de um hóspede, mas nenhum seguro para o hóspede caso ele tenha os pertences roubados dentro da casa, por exemplo. Por isso, avaliar se o local ou o anfitrião inspiram segurança é fundamental.

22. Você tem direito a reembolso em alguns casos

O hóspede também tem certas proteções, principalmente se for enganado, e isso deve ser resolvido até 24 horas depois do check-in. O pagamento pelo aluguel só é liberado ao anfitrião depois desse prazo.

Caso o anfitrião não forneça acesso à acomodação, ou o anúncio não corresponda à realidade (diferença no número de quartos ou banheiros, ou não há as comodidades anunciadas), ou o local não é higiênico ou não oferece segurança aos hóspedes, ou ainda se há um animal que não foi informado anteriormente, você pode entrar com um pedido de reembolso.

O valor do reembolso será calculado conforme avaliação do Airbnb. Além disso, eles verificarão se você tentou resolver essas questões com o anfitrião via mensagens dentro do serviço de Airbnb, por isso é importante sempre usá-lo para resolver esse tipo de questão.

23. Não faça na casa dos outros o que não gostaria que fizessem na sua

Mostre que você é uma pessoa educada e não manche a imagem do seu país ou da sua cidade: não fique vasculhando, por curiosidade, as coisas na casa do seu anfitrião, não viole as regras da casa, avise se quebrar algo, mantenha limpo tudo o que usar e devolva a casa como a encontrou.

Todo esse esforço vai valer a pena no final, pois tanto quanto você vai avaliar o anfitrião e a sua acomodação, o proprietário também vai avaliá-lo depois de sua estadia. E um feedback negativo pode acabar com suas chances de ser aceito por outros anfitriões no futuro.

PARA VOCÊ