26 imagens da África que a mídia nunca mostra para você

Com milhares de tweets postados, a hashtag #TheAfricaTheMediaNeverShowsYou (em português, “a África que a mídia nunca mostra para você”) tem movimentado milhares de africanos em prol de mostrar o lado mais bonito de suas cidades e de seus países, na tentativa de desfazer, para o restante do mundo, a ideia de em que todo lugar o que se vê é apenas a miséria e o subdesenvolvimento.

Publicidade

Nessa matéria, reunimos as melhores fotos recentemente compartilhadas de diferentes regiões do continente africano. As imagens surpreendem ao revelar as belezas naturais, históricas e modernas que estão por trás da imagem equivocada que temos desses países.

1. Abidjã, Costa do Marfim

Abidjã, a maior cidade da Costa do Marfim, era a capital do país até o começo dos anos 1980, quando esse posto foi passado para a cidade de Yamoussoukro. No entanto, Abidjã permanece como a sede do governo marfinense, prevalecendo como um importante centro industrial, comercial e cultural, e uma das maiores metrópoles da África.

Entre os principais pontos turísticos da cidade estão a moderna Catedral de São Paulo, de pé desde 1985; a região central do Plateau, com sua charmosa arquitetura e ruas movimentadas; a bela Mesquita Central, construída nos anos 1990; e o Parque Nacional de Banco, uma área de 300 quilômetros quadrados de preservação de flora e fauna.

2. Basílica de Nossa Senhora da Paz, Costa do Marfim

Na capital da Costa do Marfim, Yamoussoukro, está a Basílica de Nossa Senhora da Paz, considerada a maior igreja cristã do mundo. Com uma área interna de oito mil metros quadrados e com capacidade para abrigar 18 mil pessoas, a construção foi erguida na segunda metade da década de 1980.

3. Rio Bandama e litoral da Costa do Marfim

A Costa do Marfim é abençoada pela beleza de águas doces e salgadas. Com 800 quilômetros de extensão, o Rio Bandama (na primeira imagem do tweet) é o maior da Costa do Marfim, cortando o país ao meio e passando ao lado da capital. Já o litoral da Costa do Marfim, banhado pelo Oceano Atlântico, traz uma bela paisagem de mais de 500 quilômetros de costa com praias de encantar qualquer turista.

4. Lago Assal e Place Menelik, Djibuti

Publicidade

No noroeste da África, está o país de Djibuti, o qual, mesmo pequeno, guarda grandes belezas. Um dos seus principais pontos turísticos, o Lago Assal, é mostrado na primeira imagem desse tweet. O lago, o ponto mais baixo da África (a 155 metros abaixo do nível do mar), formou-se na cratera de um vulcão, na região de Tadjourah, e é considerado o mais salgado do mundo. Já a Place Menelik, na imagem inferior à esquerda, é o coração do bairro europeu da cidade de Djibouti, capital do país.

5. Cidade de Djibuti, Djibuti

Publicidade

A bela imagem da noite caindo na cidade de Djibouti mostra a área de Gabode 6, em boa parte composta por alojamentos para militares que atuam na região.

6. Fasil Ghebbi, Etiópia

A cidade-fortaleza de Fasil Ghebbi, dentro da cidade de Gondar, foi residência dos imperadores da Etiópia entre os séculos 16 e 17. O local, que conta com vários palácios, igrejas e edifícios, é cercado por uma muralha de 900 metros de comprimento. Em 1979, a cidadela foi tombada como Patrimônio Mundial da UNESCO.

7. Norte da região de Afar, Etiópia

O norte da região de Afar, onde fica o Deserto de Danakil, na Etiópia, é um dos lugares mais quentes do planeta, considerando-se a média de temperatura anual. Este também é um dos locais mais baixos da Terra, a 100 metros abaixo do nível do mar. Com as raras chuvas e as altas temperaturas, o Rio Awash evapora nessa região, formando uma série de lagos salinos e nunca saindo das fronteiras da Etiópia.

8. Vulcão de lavas azuis na Etiópia

Lindo e mortal: esse vulcão no Deserto de Danakil tem sua lava na cor que conhecemos, laranja avermelhado, no entanto, quando o líquido entra em contato com o gás sulfúrico, formam-se lavas de cores azuis inacreditáveis e letais. Essa imagem foi tirada pelo fotógrafo francês Olivier Grunewald, que precisou chegar bem perto do vulcão e usar máscara de gás para não respirar a fumaça que emanava das lavas.

9. Belezas naturais da Uganda

Conhecida como a “pérola da África”, Uganda guarda diversas belezas naturais disponíveis para os turistas mais aventureiros. Na imagem superior à direita desse tweet, estão as montanhas da Floresta Impenetrável de Bwindi, um parque nacional, casa dos gorilas-da-montanha, ameaçados de extinção. As duas imagens inferiores mostram o Lago Bunyonyi e uma vista aérea da região de Kabale, onde fica esse lago.

10. Praia de Eleko, Nigéria

Banhada pelas águas do Golfo da Guiné, a Praia de Eleko, na Península de Lekki, é um grande destino para os moradores da Ilha de Lagos, a 60 quilômetros dali. O local vale a visita pela sua tranquilidade e atmosfera pacífica, longe do agito da cidade grande.

11. Castelo de São Jorge da Mina, Gana

O Castelo de São Jorge da Mina, na cidade de Elmina, próxima de Cape Coast, é a mais antiga fortaleza europeia ao sul do Deserto do Saara. O local foi construído para funcionar como um entreposto comercial de Portugal, tornando-se o principal estabelecimento da costa africana no século 15, garantindo uma fonte de riqueza para os portugueses em seu comércio pelo Golfo da Guiné.

Mais tarde, o castelo tornou-se um dos locais onde os escravos africanos eram mantidos até serem transportados para as colônias portuguesas.

12. Kigali, Ruanda

A capital de Ruanda, Kigali, foi fundada somente em 1901, quando o país estava sob o domínio dos alemães. Considerada uma das cidades mais seguras e limpas da África, Kigali tem uma grande área verde que circunda suas ruas movimentas e suas sinuosas avenidas. Depois de passar por uma história conturbada, Ruanda se reergue com o investimento estrangeiro e o renascimento da sua capital.

13. Grande Mesquita de Touba, Senegal

Uma das maiores mesquitas da África fica na cidade de Touba, no Senegal. A construção, que tem capacidade para abrigar sete mil pessoas, é a casa da vertente mouride, uma ramificação do sufismo, que, por sua vez, é uma corrente do islamismo. Dentro da mesquita está a tumba de Amadou Bamba, fundador da irmandade mouride, falecido em 1927.

14. Puntlândia, Somália

A Somália impressiona por seu belo litoral e a região de Puntlândia, que está no nordeste do país, tem algumas das praias mais belas quando se fala no Chifre da África. Uma curiosidade é que Puntlândia se considera um Estado autônomo da Somália desde o fim da década de 1990.

15. Serra Leoa

Emergindo de uma guerra civil que terminou há quase 15 anos, Serra Leoa luta para alavancar o ecoturismo na região. O país oferece passeios para quem gosta de fazer observação animal, em especial de macacos, búfalos e hipopótamos raros, além de ter belas praias, algumas isoladas do agito das cidades, e muita história e natureza para ser explorada.

16. Xexuão, Marrocos

A cidade de Xexuão, no Marrocos, é considerada um local sagrado por ter o túmulo de Moulay Abdeslam, santo padroeiro da região de Jebala. Seu centro histórico é formado por casas, ruelas e escadas pintadas de azul, cor que predomina no cenário quando o vilarejo é visto de longe. Há diversas histórias para explicar a origem dessa tradição, mas em uma coisa todos concordam: a pintura faz o local ter ares paradisíacos.

17. Lamu, Quênia

A pequena cidade de Lamu está situada na Ilha de Lamu, por sua vez, parte do Arquipélago de Lamu, território do Quênia. A cidade foi tombada como Patrimônio Mundial da UNESCO por ser a mais antiga do Quênia continuamente habitada e um dos assentamentos originais dos suaílis, grupo étnico da costa leste africana.

18. Flamingos no Lago Bogoria, Quênia

Essa imagem, clicada pelo fotógrafo Martin Harvey, mostra uma vista aérea de um bando de flamingos na costa do Lago Logipi, no norte do Quênia. O lago salino é frequentemente visitado pelos flamingos, que se alimentam de cianobactérias e outros plânctons abundantes na região.

19. Cabo das Agulhas, África do Sul

No extremo sul do continente africano está o Cabo das Agulhas, na África do Sul, considerado o marco divisório entre o Oceano Atlântico e o Oceano Índico, ponto marcado pelo monumento da foto. Um local histórico de visitação nessa região, localizada dentro do Parque Nacional Agulhas, é o farol do Cabo de Agulhas, em funcionamento desde 1849, dentro do qual há um museu.

O local, que historicamente tem má fama entre navegadores por oferecer uma navegação perigosa, foi avistado pela primeira vez por um europeu no final do século 15, na figura do português Bartolomeu Dias.

20. Maiden’s Cove, África do Sul

Essa praia rochosa da Cidade do Cabo, na África do Sul, oferece um espaço ideal para a família se divertir, por ter, além da praia em si, águas calmas em várias piscinas. Mas prepare-se: as águas são geladas, mesmo nos dias quentes de verão! O local oferece boa infraestrutura para visitantes e uma vista belíssima da Montanha da Mesa, o pano de fundo da Cidade do Cabo.

21. Umm al-Maa, Líbia

O Lago Umm al-Maa é literalmente um oásis no Deserto do Saara, na Líbia. Com suas bordas cobertas de tamareiras e juncos, as águas são apenas o resquício do que era o antigo Lago Megafezzán, que, há 200 mil anos, cobria uma superfície do tamanho da Inglaterra nessa região.

22. Cartum, Sudão

A capital e segunda maior cidade do Sudão, Cartum, foi fundada pelos egípcios no começo do século 19 e está localizada onde os rios Nilo Azul e Nilo Branco se unem para formar o Nilo. Entre os atrativos da cidade, além do encontro dos dois rios, estão vários museus e construções históricas, o Palácio Presidencial e o centro comercial de Souq Arabi.

O ar de modernidade cada vez mais presente nos prédios e a hospitalidade dos moradores fazem de Cartum um elogiado destino turístico.

23. Casas núbias no Sudão e Egito

A Núbia compreendia, há milênios antes de Cristo, uma região que hoje se encontra em parte no Sudão e em parte no Egito. As tradicionais casas núbias são pintadas em cores vivas e, antigamente, tinham o chão feito de areia, sem a necessidade de um teto em todos os cômodos, já que a chuva é rara na região. Hoje muitas dessas casas tradicionais se transformaram em alojamentos para turistas.

24. Brazzaville, Congo

A capital e maior cidade da República do Congo é Brazzaville, fundada, no século 19, pelo italiano Pierre Savorgnan de Brazza. Essa é uma cidade descontraída e charmosa, cujos anos de guerra civil, na década de 1990, felizmente ficaram para trás. Entre os atrativos estão as cachoeiras do Rio Congo, a Basílica de Santa Ana, o Memorial Brazza, onde estão os restos mortais do fundador da cidade, e as feiras do Marché Total e do Marché Touristique, onde estão à venda muitos produtos típicos da região.

25. Tombuctu, Mali

A cidade de Tombuctu, em Mali, teve sua época de esplendor entre os séculos 14 e 16, quando tornou-se uma importante cidade universitária e religiosa. Nos anos 1980, foi tombada como Patrimônio Mundial da UNESCO, sendo que sua maior relíquia são as mesquitas, dentre as principais as de Djingareiber, Sankoré e Sidi Yéhia, feitas de terra e materiais orgânicos, como fibras, palha e madeira.

26. Eritreia

Com uma beleza única em sua mistura entre as influências abissínias, arábicas e mediterrâneas, a Eritreia apresenta belezas naturais sem igual, com suas escarpas, planícies e picos elevados, além de muita diversidade cultural. No entanto, o turismo na região é pouco desenvolvido e órgãos internacionais aconselham que vários locais não sejam visitados por oferecer riscos — portanto, vale dar uma pesquisada antes de planejar uma viagem para lá.