36 dicas para você economizar grana viajando pela França

Escrito por Ian Castelli

Ah, a França! Um dos destinos mais charmosos e populares da Europa atrai turistas do mundo todo com ótimas razões. Museus imponentes, construções majestosas com séculos de idade, gastronomia com pratos e vinhos famosos no mundo inteiro. Esteja você disposto a gastar muito ou pouco, a França tem bastante a oferecer para pessoas com contas bancárias de todos os tamanhos. Embora de início o país pareça ser um destino um tanto caro, é possível conhecê-lo sem gastar tanto quanto o imaginado – basta se planejar e seguir algumas de nossas dicas!

Continua após o anúncio

Separamos aqui informações que vão ajudar você a se preparar melhor e poupar muitos euros quando estiver em solo francês. Então prepare-se, pois as desculpas para não viajar para a França vão acabar quando você terminar de ler este texto. Vamos lá:

O melhor momento para viajar

1. Para começar a viagem economizando, a dica de ouro é ir na baixa temporada. No final de outubro até o início de março (com exceção dos feriados, é claro), as passagens são consideravelmente mais baratas. A alta temporada na Europa é nos meses de junho e julho, quando é verão no continente. Por isso, sempre há opções mais em conta no inverno.

2. Quando estiver no litoral, evite dormir em locais próximos às praias. O litoral da França (especialmente a Costa Azul) tem preços consideravelmente altos, assim como Paris. Evite tais lugares no verão e procure conhecer mais o interior, como pequenas cidade e vilas. Por exemplo, viajar nos meses de junho e julho pela região de Provença e Gard é muito mais barato do que nas áreas citadas anteriormente.

3. Paris é mais barata no mês de agosto. É um mês levemente mais vazio na cidade, já que os moradores locais costumam viajar nesse período e por isso pode ser uma ótima época para visitá-la. Contudo, algumas lojas e restaurantes pequenos podem fechar. Por outro lado, os hotéis são mais em conta do que nos meses agitados.

4. A não ser que você seja um aficionado por moda e suas tendências, evite a todo o custo visitar Paris nas semanas de moda (que sempre ocorrem em períodos variados). As datas mudam anualmente, por isso é bom fazer pesquisas rápidas sobre antes de comprar as passagens. Normalmente, tais eventos ocorrem em setembro, outubro e março.

Pegando o avião

5. Lembre-se de que Paris não é a única opção de pouso na França. Você sabia que pode voar do Brasil até a cidade de Marselha? Dependendo do itinerário, essa opção pode valer mais a pena. Além de poupar dinheiro, você também pode poupar tempo.

6. Considere chegar em uma cidade e voltar por outra. Por exemplo, ir para Paris e voltar por Marselha. Existem janelas aéreas que podem ser preenchidas com passagens assim. O melhor é que você pode aproveitar o tempo de modo mais inteligente, sem ter que fazer conexões desnecessárias (e gastar mais) na hora de voltar para casa.

7. Se você não está encontrando voos diretos para a França que sejam baratos, e está com tempo disponível, considere ir para outro país e fazer conexão. Por exemplo, é possível encontrar voos mais em conta para Irlanda e de lá pegar um voo com uma companhia aérea de baixo custo (como a Ryanair) para a França.

8. Evite pegar táxis no aeroporto de Charles du Gaulle. A não que você tenha muitas bagagens e esteja viajando em um grupo muito grande, há opções bem mais em conta que saem do aeroporto. Existem trens e ônibus que fazem conexão direta com o centro de Paris, então não há com o que se preocupar.

Continua após o anúncio

O roteiro da viagem

9. Há muito, mas muito o que se ver e o que fazer na França. Por isso, você pode ficar um tanto afobado para inserir o maior número possível de passeios dentro do itinerário. Já avisamos que isso pode ser um problemão, tanto no bolso como no corpo, e você pode acabar não curtindo a viagem tanto assim. Desse modo, é melhor restringir um pouco e fazer os passeios com calma para você aproveitar tudo de modo eficiente.

10. Em vez de viajar para um lugar novo diariamente, considere passar mais dias em um mesmo local. Desse modo, você pode conhecer mais do dia a dia dos franceses e se surpreender com as pequenas descobertas. Que tal visitar vinhedos? Vilas charmosas que quase não atraem turistas? Existem muitas opções que fogem dos destinos comuns.

Passeios de trens

11. A França oferece uma extensa malha ferroviária e você pode se deslocar por todo o país de trem. O TGV é o sistema de trem de alta velocidade mais famoso, porém oferece passagens salgadas se você não comprar com antecedência. A dica é comprar meses antes e seguir um itinerário planejado, pois você verá que o preço dessas passagens pode variar muito.

12. Provavelmente os passes ferroviários, aqueles tickets especiais que garantem um número determinado de viagens com um mesmo cartão, não serão de extrema utilidade. Para muitos viajantes, é melhor comprar as passagens com antecedência mesmo, esse é o planejamento ideal. Embora os passes sejam interessantes ema alguns casos, eles só farão sentido se você realmente viajar muito de trem pelo país.

13. Compre as suas passagens como os próprios franceses fazem: pelo site das companhias de trem! Não há necessidade de comprar tickets de terceiros e agências, pois você pode fazer tudo sozinho. Clique aqui para ficar por dentro das opções e se planejar.

14. É interessante tentar as opções de baixo custo do TGV. As companhias idTGV e Ouigo oferecem trens de alta velocidade por somente €10, embora os destinos de saída e chegada sejam diferentes.

15.  Sempre é possível viajar pelos trens regionais, que são consideravelmente mais lentos, porém igualmente charmosos. Ao contrário das opções do TGV, não é necessário comprar online com antecedência (e os preços aqui não mudam muito independentemente da época do ano).

16. Em alguns casos, os ônibus podem ser mais baratos do que os trens. Acesse o site Ouibus para encontrar opções em conta de ônibus que viajam pela França, Bélgica, Itália, Holanda, Suíça e Espanha.

Aluguel de carros

17. A dica mais básica que podemos dar para você quer alugar um veículo é fazer a solicitação com antecedência. Esperar para escolher o carro no dia da chegada pode se tornar um problemão, já que os automóveis mais baratos têm rotatividade maior, enquanto os mais caros permanecem nas locadoras.

18. Planeje bem a data da retirada do carro para não pagar a mais sem ser necessário. Por exemplo, se você for passar cinco dias em Paris, é possível retirar o automóvel no último desses dias, pois a cidade oferece uma ótima estrutura para você se locomover de metrô e ônibus. Além disso, é possível andar a pé entre os pontos turísticos, por isso não se preocupe com o carro em cidades grandes (além do mais, você teria que gastar com os estacionamentos).

19. Atente-se aos limites de velocidade e às leis de trânsito da França. Sim, você pode ser multado com um carro alugado e certamente pagará por qualquer transgressão realizada com o veículo.

Acomodação

20. Como cidade turística que é, Paris tem hotéis de todos os tipos e para todos os bolsos. O segredo para economizar é reservar com antecedência para pegar os melhores preços. Sempre no topo dos hotéis com o melhor custo-benefício, está o Hotel Tiquetonne. Boas pesquisas no Trip Advisor também vão ajudar você a fazer uma filtragem com os melhores locais.

21. É claro, os hotéis não são a única opção. Você pode alugar apartamentos, ficar com os locais em residências compartilhadas e muito mais. O site Airbnb oferece dezenas de opções.

22. Se você está procurando por uma experiência realmente diferente, é possível dormir em algumas fazendas francesas. Especialmente em cidades pequenas e em vilarejos, há essa possibilidade. Quem quer ter vivência mais rural pode ver algumas opções no site Gîtes de France.

Passeios pelo país

23. Lembre-se que existem passeios que são gratuitos. Não há ingresso para explorar a cidade e muito menos para visitar determinados museus, parques e fazer inúmeros tours. Pesquise bem quais são os passeios gratuitos e aproveite! Por exemplo, em Paris, você pode conhecer vários museus gratuitamente ou pagando bem menos. O site Eurocheap (em inglês) separou alguns deles nesse link.

24. Se você realmente é sedento por cultura e museus, considere comprar um passe cultural para as cidades que quer visitar. Esses passes são como cartões que valem a entrada para vários museus locais, e são consideravelmente mais vantajosos para quem pretende gastar bastante visitando tais lugares. Cidades como Paris, Bordeaux, Marselha e Nice fornecem passes assim.

25. Fale com os profissionais! Todas as cidades turísticas possuem centros de informação dedicados aos turistas. Com materiais em vários idiomas, você pode ficar por dentro dos principais passeios, de eventos do momento, de viagens próximas que podem ser feitas em um dia e muito mais.

Alimentação

26. Caso se hospede em um hotel, evite a todo o custo os alimentos do minibar. Os produtos do minibar normalmente são caros, sendo que você pode passar em qualquer mercado próximo para comprar os alimentos da noite, quando bater aquela fominha. Garantimos que essa simples economia já faz uma grande diferença no bolso.

27. Todos os restaurantes são obrigados por lei a fornecer gratuitamente pão e água aos seus clientes. A não ser que você seja muito seletivo quanto à água que bebe, não é necessário pedir bebidas quando se está em tais estabelecimentos. É claro, não falamos para você fazer isso sempre, afinal se você está na França eventualmente terá que experimentar um bom vinho tinto.

28. Você estará na terra do vinho e há garrafas para todos os paladares. Não se preocupe, pois o preço dos vinhos comuns não é um exagero na França e você poderá experimentar vários deles. Afinal, do que adianta ir até a França se você não pode tomar um bom vinho?

29. Mercados ao ar livre e feirinhas são extremamente comuns em toda a França e você não pode perdê-los. Em Paris, há quase feiras ao ar livre diariamente, e o mesmo se repete em cidades e vilarejos de todo o país. Tais locais são ótimos para serem explorados, já que oferecem um cardápio local por um preço muito mais em conta.

Comunicação e dinheiro

30. Atenção com as gorjetas. Ao contrário de alguns países, como os Estados Unidos, a gorjeta não é algo obrigatório para os franceses. Para coisas pequenas, como cafés, croissants e bebidas em bares, não é necessário dar gorjeta aos atendentes. Contudo, em estabelecimentos mais pomposos e até mesmo em passeios com guias, é interessante deixar algum tipo de gorjeta.

31. Os principais meses de desconto do país são janeiro e junho, quando ocorrem as promoções anuais de verão e inverno. Esses eventos se arrastam por semanas e talvez seja interessante se planejar para aproveitar um deles.

32. Para não gastar com dados celulares, recomendamos que você use sempre que possível o Wi-Fi. Centenas de estabelecimentos, como parques, museus, bibliotecas e ruas tradicionais oferecem WiFi gratuito, de modo que você dificilmente ficará sem qualquer acesso à internet.

33. Quem planeja ficar mais tempo no país pode comprar um chip local (se o smartphone em questão for desbloqueado). Ligações, emails e o acesso à internet será muito mais barato do que pela operadora que você já tem em mãos. É claro que é interessante avaliar até que ponto isso realmente é necessário, porém existem planos mensais com um ótimo custo-benefício.

34. Ligue para o seu banco e se certifique de que o cartão está desbloqueado para uso internacional. Aproveite para verificar quais serão as taxas que você pagará pelas transações, tanto na retirada de dinheiro em caixas eletrônicos como pelo uso do cartão de crédito.

35. Atenha-se ao euro. Usar o cartão de crédito sempre é algo tentador, porém se lembre que você deverá pagar pelo IOF depois e isso pode causar surpresas ruins. Comprar euros com antecedência é mais prudente, além de você poder visualizar, literalmente, o fluxo do dinheiro.

36. A última dica fica por conta dos câmbios. Evite os câmbios das ruas, pois frequentemente eles não serão tão vantajosos quanto parecem à primeira vista. Se você quer segurança total, pague pelas taxas de câmbio dos caixas eletrônicos mesmo quando o dinheiro em espécie acabar.

Com essas dicas, nós esperamos que você viaje até à França e aproveite ao máximo o que esse país incrível, charmoso e encantador tem para oferecer. As fronteiras do mundo são mais tênues do que imaginamos e é possível fazer muito gastando pouco, basta se planejar. Por isso, prepare-se com antecedência e siga as nossas dicas!

recomendados para você

    147
  • Algarve: todos os encantos do paraíso das mais belas praias de Portugal

    Algarve: todos os encantos do paraíso das mais belas praias de Portugal

  • 147
  • 10 fotos de lugares que irão fazer você ficar com vontade de conhecer a Islândia

    10 fotos de lugares que irão fazer você ficar com vontade de conhecer a Islândia

  • 147
  • 25 dicas úteis para quem vai viajar a Barcelona pela primeira vez

    25 dicas úteis para quem vai viajar a Barcelona pela primeira vez

  • 147
  • 15 cidades de Portugal que são simplesmente imperdíveis

    15 cidades de Portugal que são simplesmente imperdíveis

  • 147
  • Bratislava: o que fazer em um bate e volta na capital da Eslováquia

    Bratislava: o que fazer em um bate e volta na capital da Eslováquia

  • 147
  • Lago de Como: uma região para todos os gostos no norte da Itália

    Lago de Como: uma região para todos os gostos no norte da Itália

  • 147
  • 11 fotos dos deslumbrantes penhascos brancos de Dover na Inglaterra

    11 fotos dos deslumbrantes penhascos brancos de Dover na Inglaterra

  • 147
  • 16 sobremesas francesas que você precisa provar na sua próxima viagem

    16 sobremesas francesas que você precisa provar na sua próxima viagem