15 lugares do centro histórico do Rio de Janeiro para você conhecer

Escrito por Bruno Mendes

O centro histórico do Rio de Janeiro é contornado por vias e construções centenárias que ilustram trechos importantes da história do Brasil do período imperial até a república. O visitante que caminhar pela Avenida Rio Branco, passar pelo Largo da Carioca, Cinelândia, retornar e pegar a Ouvidor até a Rua Primeiro de Março e desbravar tantos outros caminhos, encontrará a museus, centros culturais e logradouros em que habitavam personagens de obras machadianas e representavam o ponto de encontro de intelectuais até meado do século 20.

É na região central que parte da Bellé-Époque carioca – período de constantes transformações urbanas, culturais e até na estética e arquitetura, que ocorreu no século 19 e deu certo “glamour francês” ao Rio – pode ser contemplada, ainda que em meio aos envidraçados arranha-céus contemporâneos, os transeuntes com seus Iphones e tantas outras peças capazes de comprovar as transformações inescapáveis com o avançar dos anos.

O Rio encanta pelas montanhas, florestas e praias mas respira história e boemia em alguns dos seus recantos, portanto, confira 15 lugares que você não pode deixar de conhecer no centro!

1. Biblioteca Nacional

A Biblioteca Nacional, inaugurada em 1910, é a maior da América Latina e consta como a oitava do mundo, com um impressionante acervo de 9 milhões de volumes e algumas raridades, como documentações do século 19 que foram trazidas por Dom João VI e a corte de Portugal.

Abrigando o principal patrimônio bibliográfico do país, o suntuoso prédio de estilo art noveau e neoclássico da biblioteca, passou (e ainda passa) por sucessivas reformas e recebe estudantes, pesquisadores e visitantes em geral, que também podem fazer a visita guiada. Vale a pena seguir até a Cinelândia – uma mais mais célebres praças do Rio – e conhecer esse monumento com muita atenção.

Endereço: Avenida Rio Branco, 219 – Centro – Rio de Janeiro

2. Theatro Municipal

Sem dúvidas uma das mais belas construções do Rio de Janeiro, o Theatro Municipal – situado na Cinelândia, quase vizinho à Biblioteca Nacional – foi inaugurado em 1909 e por mais de 100 anos recebe as principais orquestras, companhias de balé e de dança do Brasil e do mundo.

A imponente casa de espetáculos foi construída no período em que o Rio de Janeiro passava por intensas transformações urbanísticas e culturais e a atividade teatral da cidade também vivia momento de ebulição. Hoje o teatro tem capacidade para 2252 pessoas e em 2008 passou por uma grande processo de restauração.

Endereço: Praça Floriano, S/N – Centro

3. Museu Nacional de Belas Artes

O edifício do Museu Nacional de Belas Artes, assim como muitos dos prédios do centro histórico, foi construído no bojo das modernizações urbanas na cidade na virada do século 19 para o 20, e por decreto do presidente Getúlio Vargas, transformou-se no famoso museu em 1937.

Além de ser mais uma moldura arquitetônica da capital fluminense, o MNBA tem a maior e mais relevante coleção de artes do século 19 e entre desenhos, gravuras, pinturas, livros, documentos e diferentes objetos, concentra mais de 70 mil itens trazidos para o Brasil pelo chefe da Missão Artística Francesa Joaquim Lebreton e algumas obras deixadas por Dom João XI, quando retornou para o Brasil em 1821.

Endereço: Av. Rio Branco, 199 – Centro

4. Paço Imperial

O Paço imperial está localizado na região da Praça XV, na rua Primeiro de Março, antigamente chamada Rua Direita e uma das primeiras vias do Rio de Janeiro. Erguido em 1743, o prédio colonial serviu como sede do reinado e do império brasileiro depois da chegada de Dom João VI ao país e em 1938 foi tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Com graciosas e tão identificáveis sacadas, o prédio desde 1985 funciona como centro cultural, onde ocorrem mostras de pintura, cinema, escultura, música, artesanato, fotografia etc. O edifício também dispõe de cafeteria e uma interessantíssima livraria, que tem excelente acervo de cds e vinis pouco encontrados no mercado.

Endereço: Praça Quinze de Novembro, 48 – Centro

5. Rua do Ouvidor

Passar pela rua do Ouvidor é entrar em sintonia com o universo das obras de Machado de Assis e ter a chance de respirar ares do rio colonial, afinal ela é estreitinha como os logradouros de outrora e tem sobrados conservados( ok, alguns nem tanto), cujo charme arquitetônico é indescritível.

A Ouvidor do século 19 era preenchida por estabelecimentos de alto padrão de todos os seguimentos: perfumarias, lojas de roupas finas, cafeterias, tabacarias, etc. Por lá, circulava a nata da intelectualidade carioca e a via era uma espécie de shopping center dos tempos antigos.

Com o crescimento da cidade, a rua perdeu um pouco desse encanto, mas ainda hoje é um cenário valioso na memória afetiva de cariocas mais velhos, ou por quem admira relatos passados da cidade maravilhosa. Uma dica bacana: não deixe de caminhar pelo trecho da Ouvidor que vai da Primeiro de Março até as proximidades do Centro Cultural dos Correios e do prédio da antiga Bolsa de Valores do Rio, pois há alguns bares bons para petiscar e tomar uma cervejinha. Em determinadas sextas e sábados rolam eventos de samba gratuitos muito bacanas na área.

6. Centro Cultural Banco do Brasil( CCBB )

O edifício de traços neoclássicos localizado no final da Primeiro de Março foi erguido em 1906 e na época sediava a Associação Comercial do Rio de Janeiro. Na década de 1920 passou a pertencer ao Banco do Brasil, mas foi somente em 1989, que se transformou em um dos centros culturais mais famosos do Rio.

No CCBB o visitante poderá visitar uma exposição permanente com coleção de moedas e células presentes em todos os momentos da história do Brasil e mostras temporárias de arte moderna, com exposições de autores do mundo inteiro. O espaço também contempla biblioteca, videoteca, salas de teatro, cinema e promove eventos com debates de diferentes áreas do conhecimento.

Em 2016, o Centro Cultural Banco do Brasil esteve na lista dos 100 museus mais visitados do mundo, ocupando a 26ª posição com 2.216.880 de visitantes.

Endereço: Rua Primeiro de Março, 66 – Centro

7. Cais do Valongo

A região em que hoje está localizado o sítio arqueológico Cais do Valongo, foi o mais importante porto para entrada de escravos do Brasil e fica na zona portuária, que recentemente foi reformada. O cais é atualmente reconhecido como Patrimônio Mundial pela Unesco, e mais que um atrativo turístico, é um espaço de inenarrável importância para todos lembrarem um período bárbaro da história da humanidade.

E o Valongo é recente, afinal foi reencontrado em 2011 nas escavações que ocorreram para a revitalização da região do porto. Todo o espaço que havia sido aterrado em reformas urbanas antigas tem 350 metros quadrados.

Endereço: Av. Barão de Tefé, s/n – Saúde

8. Confeitaria Colombo

No centro histórico do Rio de Janeiro é viável aprender história e ao mesmo tempo saborear deliciosas guloseimas, caso você dê uma passada na tradicionalíssima Confeitaria Colombo, a doceria que já recebeu a visita da rainha da Inglaterra Elizabeth em 1968 e oferece diferentes tipos de doces – o quindim é SUPER recomendado – salgados e refeições em geral.

Inaugurada em 1894, a confeitaria tem três salões luxuosos e refrigerados e uma área para buffet. E se em tempos pregressos a Colombo era palco de celebrações de gala com figuras públicas proeminentes, hoje é muito solicitada para casamentos. Não há lugar com mais requinte para matar a fome entre um passeio e outro .

Endereço: R. Gonçalves Dias, 32 – Centro

9. Teatro Rival

Há espaço para boemia e MAIS apreciação artística no centro histórico do Rio de Janeiro? Claro que sim. O Teatro Rival funciona desde 1934 e foi um dos principais palcos do teatro de Revista, gênero popular que fez muito sucesso nas primeiras décadas do século 20. Já passaram por lá nomes como Dercy Gonçalves, Grande Otelo, Oscarito, e da musica figuras que preenchem os novos tempos, como Elza Soares, Zeca Pagodinho, Lenine, Adriana Calcanhoto, entre outros.

O teatro hoje também recebe novos representantes da música brasileira e peças de teatro são inclusas na programação. Ah, ao lado do teatro há um bar muito movimentado chamado Rivalzinho, que serve como esquenta para as principais atrações no Rival.

Endereço: Rua Álvaro Alvim, 33 – Cinelândia

10. Cine Odeon

Os cinemas de rua brasileiros foram quase todos extintos após a proliferação dos multiplex em Shopping Centers, e os poucos que AINDA restam são símbolos de resistência cultural e merecem ser preservados. O Cine Odeon, inaugurado em 1926, é um desses sobreviventes e ao longos dos últimos anos esteve na iminência de fechar as portas, mas hoje funciona como Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro e contempla uma programação diversificada, com apresentação de shows balés, opera, palestras, etc.

Algumas das principais mostras de cinema do Brasil, como o Festival do Rio, Anima Mundi e Festival Varilux de Cinema Francês também acontecem no Odeon todos os anos.

Endereço: Praça Floriano, 7 – Centro

11. Mosteiro de São Bento

O centro histórico do Rio de Janeiro tem uma bela Catedral Metropolinana e algumas igrejas construídas com relevância histórica, porém o passeio para o Mosteiro de São Bento é o mais indicado aos que optarem por caminhos religiosos. Localizado no alto do morro de São Bento, o mosteiro é um patrimônio histórico do século 17 e a igreja Abacial data de 1633.

Nos dias comuns, o visitante tem acesso apenas à igreja mas no dia do Finados, apresentação do senhor( 2 de Fevereiro), Corpus Cristi, Domingo de Ramos, ou quando há o sepultamento de monges, os claustros podem ser apreciados de perto.

Endereço: Rua Dom Geraldo, 40 – Centro

12. Real Gabinete Português de Leitura

A revista Time incluiu o Real Gabinete Português de Leitura, inaugurada pela Princesa Isabel em 1887, na lista das 20 Bibliotecas mais bonitas do mundo e entre mais de 350 mil títulos, há livros raros e o maior acervo de obras lusitanas longe da terra mãe. E esse espetacular atrativo fica na região da praça Tiradentes, que tem importantes teatros – João Caetano e Carlos Gomes – e muitos sebos nas imediações.

Se você gostou da Biblioteca Nacional – ou mesmo que ainda não tenha visitado – é uma ótima ideia conhecer esse belíssimo espaço tão apreciado por estudantes, professores universitários, linguistas e pesquisadores.

Endereço: Praça Floriano, 7 – Centro

13. Lapa

Principal cartão postal da região mais boêmia do Rio de Janeiro, os arcos da lapa foram construídos no século 18 por escravos e índios para distribuir água originárias das nascentes do Rio Carioca. Atualmente a Avenida Men de Sá, rua Riachuelo, Gomes Freire e Lavradio são o paraíso dos notívagos, que adoram toma drinks e beber cervejas por toda a madrugada e curtir diferentes ritmos musicais em muitas casas noturnas.

Casas de show famosas como o Circo Voador e Fundição Progresso dividem espaço com bares e boates que tocam do funk ao rock em um ambiente animado e visitado todos os fins de semana por turistas do mundo inteiro. Se você ficou realmente interessado, confira essa lista do Viajali com algumas das melhores atrações da Lapa. Pode incluir na programação que você não irá se arrepender.

14. Arco do Teles

O Arco do Teles é uma passagem entre edifícios construídos no século 18 na regiao da Praça XV – próximo da rua do Ouvidor e do Paço Imperial – e da acesso a Travessa do Comércio. A região é contornada por casebres coloniais, calçamentos de pedras e muitos outros elementos que rementem a outro período histórico.

Pela noite nessas vias e em outras próximas, há bares simples e charmosos com mesas disponibilizadas nas calçadas para a alegria de quem não dispensa uma boa cervejinha.

Endereço: Praça Quinze de Novembro, 34 A – Centro

15. Porto Maravilha

É justo, MUITO justo incluir uma atração nova, como a última indicação de passeio pelo centro Histórico do Rio de Janeiro, aliás nem tão nova, pois a região do Porto Maravilha corresponde à nova região da zona portuária, que foi completamente remodelada e hoje tem enorme área livre por onde passa o VLT( Veículo Leve sobre Trilhos), belíssimos museus e outros centros culturais.

A área portuária fica em parte do centro, mas também em bairros adjacentes como Santo Cristo, Gamboa, Caju, São Cristovão, Saúde e Cidade Nova. A foto acima é do Museu do Amanhã, um dos recentes símbolos culturais da região.

Já sabe por onde começar o passeio pelo Centro histórico do antiga capital da república?

PARA VOCÊ