25 atrações turísticas na Suíça que são imperdíveis para todos os gostos

Escrito por Bruno Mendes

É fácil encontrar atrações turísticas na Suíça que estejam em sintonia com distintas preferências. O país nórdico, mundialmente conhecido pela excelente qualidade de vida, é pequeno, mas contempla cidades com características diferentes e que enchem os olhos e o coração de visitantes com seus museus, igrejas centenárias, os magníficos alpes e muito mais.
Se é para programar uma viagem, ela deve ser marcante, certo? Confira 25 atrativos em algumas das mais interessantes cidades suíças e veja porque será fácil incluir esse passeio na sua lista.

Continua após o anúncio

1. Lago Lucerna, em Lucerna

IStock

Situada em uma pequena região na área central da Suíça, Lucerna tem um pouco menos de 80 mil habitantes e concentra todas as características daquelas cidadezinhas que parecem ter sido tiradas de um conto de fadas: atmosfera bucólica, ruas limpas, estilo de vida acolhedor, arquitetura antiga e marcantes exemplares da natureza, como o Lago Lucerna, um dos principais cartões postais do país.
Contornado por montanhas, vegetação abundante e o característico cenário urbano, o lago pode ser contemplado por meio do cruzeiro panorâmico, um programa bastante solicitado por visitantes do mundo inteiro. Prepare-se para tirar MUITAS fotos.

2. Kapellbrücke (ponte da Capela), em Lucerna

IStock


Indicar uma ponte como atração turística? Claro! Ainda que a princípio venha à mente a ideia de que “atrativo do tipo há em qualquer lugar do mundo” e, de fato, seja uma opção simples, o turista que ainda estiver por Lucerna precisa dar uma passada na ponte da Capela, pois ela existe desde o século XIV e é a mais antiga da Europa, entre as estruturas de madeira do mesmo tipo.
Cruzando o rio Reuss e com um pouco mais de 200 metros de extensão, a Kapellbrücke foi erguida com o propósito de ser uma fortaleza contra invasores, e por ela chega-se à Torre d’Água(Wasserturm), estrutura que no passado fora usada como torre de vigia, câmara de tortura e até prisão.

3. Catedral St Pierre, em Genebra

IStock

A Catedral de St Pierre em Genebra é mais uma dentre os importantes símbolos históricos da Europa, e parada recomendadíssima para todos os amantes de história que visitam a cidade Suíça. Alicerçada por cima de ruínas do período romano, a construção do fim do século XIII fica na parte velha da cidade, e era o espaço físico por onde o protestante João Calvino declamava seus sermões.
A mescla de estilos arquitetônicos da fachada, a ornamentação do interior e a torre que privilegia belíssima vista da cidade são alguns dos aspectos que fazem valer a pena uma visita a esse luxuoso espaço sacro.

4. Centro Histórico de Genebra

IStock


Sem dúvidas sair batendo perna por diferentes vias é uma das atividades mais divertidas ao se visitar uma cidade diferente. E como Genebra é um museu a céu aberto, essa programação fica ainda melhor. Não deixe de ir ao Centro Histórico dentro do perímetro das muralhas antigas, para percorrer as ruas e observar casinhas centenárias, becos charmosíssimos, pracinhas e uma série de lugares importantes.
É nessa região que o turista encontrará a catedral St Pierre, galerias de arte, cafeterias, e ótimos lugares para tomar vinho. Não tenha pressa e deixe-se perder por cada rua dessa região, que diz muito sobre o estilo de vida suíço.

5. Castelo de Chillion, perto de Montreaux

IStock

Localizado a apenas quatro quilômetros de Montreaux — e fácil de chegar de ônibus, que deixa o visitante logo na entrada — o Castelo de Chillion é o mais visitado da Europa, e agrada muita gente por conta de sua posição privilegiada, na margem do Lago Genebra e em cima de uma rocha, e por toda a sua história, beleza e encanto que traz na parte externa e interna de seus muros.
O local foi construído como uma fortaleza no século XII, e teve serventia estratégica no controle do tráfego marítimo local, algo comum em tempos antigos. Após sucessões de conquistas, recebe hoje cerca de 35 mil turistas todos os anos, e estes poderão observar armaduras, artefatos bélicos e uma infinidade de peças antigas.
Impossível não se encantar com as salas de tamanhos distintos e até, para muitos, tenebrosos espaços subterrâneos. Inspiração para poetas e escritores, e com a assinatura de muitos deles por suas paredes (inclusive a de Lorde Byron), esse castelo de pedras será um presente para todos que se encantavam com histórias medievais protagonizadas por reis, rainhas, duques, duquesas e até dragões!

6. Monte Pilatus, perto de Lucerna

IStock

O Monte Pilatus é o destino certo para o visitante que ama lugares montanhosos e agraciados por natureza preservada e inspiradora. Com 2.073 metros de altura, o local é acessado por uma ferrovia (cujo caminho é o mais inclinado do mundo) que passa por florestas e exuberantes áreas de falésias, que dificilmente não serão fotografadas no correr do percurso.
É também possível fazer o passeio pela região montanhosa por um teleférico. Qual o melhor caminho? Não dá para apontar, afinal cada turista tem sua predileção, mas para aproveitar “de tudo um pouco”, que tal subir pelo teleférico e curtir a descida pelo trenzinho?

7. Kunstmuseum, Basel (Basiléia)

IStock

Centro de exibição e preservação de relevantes obras de arte, o Kustmusem é considerado um dos mais importantes museus do mundo e está situado no coração de Basel, esta linda cidade suíça capaz de congregar modernidade, multiplicidade cultural e ao mesmo tempo, preservar e louvar os monumentos
históricos. Lá está localizada a Amerbach Cabinet, a exposição mais antiga do planeta, e ao caminhar pelas galerias você terá a oportunidade de achar obras de Cezane, Picasso, Dali, Van Gogh e tantos outros artistas.
Em 2016, o museu foi ampliado e a belíssima extensão do prédio foi assinada pelos arquitetos Christ & Gantenbein.

8. Rua Bahnhofstrasse, Zurique

IStock

Difícil será visitar Zurique e resistir a ideia de caminhar por uma rua movimentada, com muitas lojas de grife, cafeterias, restaurantes e as tradicionais (e adoráveis) chocolaterias suíças. Estamos falando da Bahnhofstrasse, principal via da cidade, localizada a frente da mais importante estação de trem local.
Após contemplar o vai e vem dos transeuntes, deliciar-se com um chocolate de qualidade ímpar e grudar os olhos nas vitrines (ou até comprar, porque não?) da Louis Vitton, Channel e Cartier, é uma boa ideia seguir até o lago Zurique e encerrar o passeio curtindo uma paisagem espetacular. Viu só que dia bacana?

9. Parque dos ursos, Berna

IStock

O urso é o principal símbolo de Berna, então não é surpresa que o Bären Park (Parque dos Ursos) esteja entre as atrações turísticas mais prestigiadas da capital suíça. Em uma área verde de 6000 metros quadrados próxima ao rio Aare , os animais ficam pertinho dos visitantes, que são protegidos por um fosso.
Desde o início do século XVI, os moradores de Berna preservam os ursos cuja presença é constante ao longo da história na região, mas somente em 2009 os animais ganharam esse espaço confortável.

Continua após o anúncio

10. Matterhorn Glacier Paradise, Zermatt

IStock

Ficará fácil entender porque o Matterhorn Glacier Paradise (este mirante na área montanhosa dos famosos alpes suíços) é o passeio mais solicitado de Zermatt e indicação obrigatória para o viajante que deseja embarcar em uma aventura de gelo. Graças a imponência e beleza, o Matterhorn é considerada a montanha mais fotografada do planeta e muito procurada por amantes de esqui, snowboard e entusiastas da natureza.
Os 3.833 metros de altura colocam o Glacier Paradise como o mais alto da Europa e o acesso é feito por meio de um teleférico. Prepare o fôlego e seja bastante cauteloso nas caminhadas. Aliás, o Viajali traz umas dicas bacanas para evitar os efeitos negativos da altitude.

11. Bairro de Flon, Lausanne

iStock

Atmosfera vanguardista, arquitetura moderna, aspectos inovadores em escritórios, shoppings, apartamentos residenciais e em casas noturnas. Pode-se dizer que estes são atributos justos para o Flon Discrit, o bairro que por si só já é uma atração da cidade de Lausanne, identificada como o destino dos estudos.
Jovial, descolado (na melhor acepção do termo) e tão organizado e limpo quanto os recantos mais tradicionais da Suíça, o distrito é interessante tanto para quem gosta de aproveitar a luz do dia, quanto para quem tem predileção pelos embalos noturnos.

12. Catedral de Notre Dame, em Lausanne

IStock

A catedral de Notre Dame, também identificada como Catedral Protestante de Nossa Senhora de Lausanne, foi erguida provavelmente no ano de 1170 no trecho alto da cidade, e é um símbolo gótico do país.
Além de ser um espaço para cristãos professarem a fé, os adornos da parte interna e os indescritíveis traços arquitetônicos do monumento enchem os olhos de todos que amam prédios antigos e envolvidos em muitas histórias. E olha só: há na catedral uma programação cultural com concertos de órgãos.

13. St. Peterskirche (Igreja de São Pedro), em Zurique

IStock

A Igreja de São Pedro, construída no século VIII, é o templo mais antigo de Zurique, e da Idade Média até o início do século XX, a torre serviu como ponto de vigia de incêndios. Contudo, embora a arquitetura e a decoração sejam majestosos há um detalhe extra que chama atenção.
O maior relógio da Europa, com 9 metros de diâmetro, fica na torre da igreja, além dos sinos que são de 1880.

14. Passeio de trem pelos alpes suíços

iStock

Você pode não gostar de esquiar e ter receio de praticar outros tipos de esportes radicais no gelo, mas que tal aproveitar algum dia da viagem para curtir um indescritível trajeto de trem pelos alpes suíços e admirar algumas das paisagens mais bonitas do mundo, de pertinho e em total segurança?
O famoso Glacier Express, por exemplo, faz o trajeto entre Zermatt (Matterhorn) à St. Moritz (Engadine Superior), no chamado “circuito das geleiras”.

15. Chocolateria Confiserie Sprüngli, em Zurique

Divulgar atrações turísticas na Suíça e deixar de fora o chocolate é o mesmo que ignorar o acarajé ao elencar o que existe de melhor em Salvador, ou seja, impossível. E como Zurique é considerada a capital desta guloseima, a ideia de fazer essa tour gastronômica por lá é perfeita, mas pensando em indicar a melhor, é válida a ida à chocolateria Confiserie Sprüngli.
Inaugurada em 1836, esta é a mais antiga chocolateria local e disponibiliza macarons, tortas, trufas e muitos outros tipos do doce. Faça esse bem ao seu paladar!

16. Passeio em Interlaklen

IStock

Interlaklen é uma cidadezinha com um pouco mais de 5 mil habitantes, fica bem pertinho de Berna e em razão da sua posição geográfica, é um dos locais mais interessantes para o viajante curtir os encantos dos Alpes Suiços e outra série de atividades.
Toda a região está situada a 3 mil metros de altitude e concentra várias opções de lazer interessantes para crianças e adultos, como lagos de águas azuis, conjunto de formações rochosas, além de bares e pubs para todos que preferem aproveitar a noite.

17. A medieval Friburgo

iStock

Friburgo é dessas cidades/atrações com muita personalidade e todas as características capazes de deixar o visitante apaixonado e doido para fazer tudo o que tem direito. Mas calma! É imprudente deixar-se levar pela ansiedade e MUITO melhor absorver a atmosfera amena de um lugar com cerca de 200 fachadas góticas e baluartes com mais de 2 quilômetros, que serviam para proteger a cidade contra invasões.
Não perca a oportunidade de caminhar pelas vias deste local histórico, preservado, e ao mesmo tempo, moderno e universitário. Sim, estudantes do mundo inteiro vão para lá estudar, e como consequência, a cidade vive aquele clima animado e festivo. Nas ruas e vielas há muitos cafés, bares, galerias de arte, etc.
A catedral de Friburgo, cuja construção teve início em 1823, é outro ponto que merece destaque, em razão da beleza dos vitrais e dos 74 metros de altura de sua torre.

18. Lago Maggiore, em Ascuna

IStock

Na Suíça você também poderá curtir o clima do Mediterrâneo se passar alguns dias na charmosíssima Ascona, uma comuna com aproximadamente 6 mil habitantes, e que tem um centro histórico bem interessante. No entanto, a área que contorna o Lago Maggiore é o grande charme.
Será que pela imagem acima já dá para ter uma ideia do que encontrar por lá?

19. Cataratas de Trümmelbach, em Lauterbrunnen

IStock

Acessadas por túneis, elevadores, plataformas e trilhas pra lá de inusitadas, as cataratas de Lauterbrunnen, situadas na minúscula Lauterbrunnen, podem ser classificadas como um atrativo ‘fora do comum’, afinal não é em todo lugar que se encontra 72 quedas d’águas subterrâneas.
Possivelmente este será o ponto da viagem mais surpreendente e instigante dentre os naturais. Imagina descer montanha abaixo por uma escada que passa por dentro e fora, passar entre paredões rochosos e chegar nas cachoeiras? Depois de tudo é só subir de elevador (ele só é utilizado na volta). Anota na agenda!

20. Zytglogge – a torre do tempo, em Berna

IStock

Assim como o chocolate, o relógio é um símbolo suíço, portanto não pode deixar de mencionar tal referência ao objeto nessa lista. E na cidade das construções medievais, o Zytglogge (cuja tradução é “Sino do Tempo”) é um dos pontos turísticos mais visitados em razão de sua beleza, história e curiosidades.
Acredite só, o relógio tem mais de 600 anos (mais precisamente, 612 em 2017) e nunca errou uma batida! Antes de cada uma dessas batidas, há uma espécie de encenação e figuras fantasiadas de ursos e “bobos da corte” dançando e acenando para os passantes nas proximidades da torre.

21. Cataratas do Reno, em Neuhausen

IStock

Vale indicar as Cataratas do Reno, que ficam no alto da cachoeira mais alta da Europa, que encantam e de certa forma, assustam um pouco os visitantes diante do barulho provocado pela força das águas.
De barco, pode-se acessar castelos nas proximidades e até um enorme rochedo no meio da cachoeira, por onde os turistas observarão o espetáculo por uma perspectiva insuperável.

22. Monte Bre, em Lugano

IStock

Considerada uma cidade “Suíça à italiana”, Lugano é um destino com aquele típico climinha romântico e bucólico, que é praticamente impossível não gostar. Há ruas comerciais (algumas lojas de luxo), centro histórico formidável e áreas naturais perfeitas para aquele íntimo contato com a natureza, que todo viajante precisa ter em ao menos um momento da trip.
Aproveitando a viagem, não deixe de visitar o Monte Bre. Ela é a montanha mais ensolarada e a mais alta da Suíça, então, mesmo que você seja um bom andarilho, vá até o topo pelo funicular ou de carro mesmo. Chegando lá, é só curtir a brisa, pensar na vida ou em nada. A decisão é sua, apenas aproveite!

23. A ‘não turística’ Thun

IStock

É natural comprar cartões postais e procurar no Google por cidades famosas antes de fazer as malas e pegar o voo, mas pensa bem: sempre há uma cidadezinha pouco conhecida e despretensiosa que enche os olhos do visitante por diversas razões, concorda? Na Suíça, a pequena(e “alemã”) Thun é este exemplar.
Agraciada por lagos de águas clarinhas, castelos medievais, vias estreitas, aquelas casinhas com fachadas bonitas e impagável vista dos alpes, Thun não tem a badalação de Genebra e Zurique, por exemplo, e traz a personalidade e todas aquelas nuances típicas de um lugar não muito visitado. Charme e muita tranquilidade!

24. Rua Limmat, em Zurique

IStock

Em Zurique há movimento, os célebres edifícios históricos, lojas de grifes, parques e tantos eventos que muito encantam os turistas, mas se a ideia for fazer compras, provar uma comida deliciosa ou mesmo caminhar sem pressa ou receio de ser atropelado, a dica é ir à rua Limmat e aproveitar.
Atropelado? Como assim? Nessa rua carro não tem acesso, ou seja, a oportunidade de curtir as atrações e as paisagens do entorno em total tranquilidade é completa.

25. Lago Léman, Genebra

IStock

Sabe aquela saidinha simples, nada ambiciosa ou sofisticada e TÃO completa por evocar lembranças e proporcionar prazeres? Uma caminhada pelo calçadão que circunda o Lago Léman (também identificado como Lago de Genebra), certamente provocará tais sensações.
Além do entorno arborizado e limpo, há suntuosos castelos nas proximidades, vinícolas e uma série de vilarejos. E ele é grande: são 180 quilômetros de circunferência e 73 km de extensão. Aproveite para também realizar passeios de barco.

Qual a melhor época para visitar a Suíça? Depende do seu interesse. Em razão da localização geográfica, a maior parte do país é fria durante o ano inteiro, portanto, mesmo no verão europeu é prudente incluir o casaco na mala. Entre dezembro e fevereiro, a temperatura varia entre -5 °C e 8 °C, época certa para quem gosta de esquiar, curtir a neve e tomar o maior número de chocolates quentes possíveis.
No verão Suíço — entre julho e agosto — o tempo fica quente para os padrões europeus, entre 18 °C e 28 °C, e os atrativos urbanos ficam mais cheios. Já na primavera e outono há um meio termo climático, e o tempo fica por volta de 8 °C e 15 °C.
Em suma, até na questão ‘sol ou neve?’ a Suíça concentra os requisitos para agradar todos os gostos.

 
   

PARA VOCÊ