17 dicas para conhecer Nova York sem gastar muito

Escrito por Bárbara Cristovão

Considerada a capital do mundo, Nova York é um dos maiores destinos turísticos que existem e um grande polo econômico e cultural — fatos que fazem dela uma das cidades mais caras dos Estados Unidos e do planeta. Portanto, fazer turismo por lá sem gastar muito é um desafio e, para ajudá-lo nisso, preparamos uma lista com algumas dicas valiosas.

1. Hospedagem barata

Um albergue custa até 75 dólares a cama por noite, então, se a sua viagem é em pelo menos duas pessoas, já vale a pena considerar um hotel com banheiro compartilhado. Para quem, ainda assim, quer ficar em hostels, dois recomendados são o Bowery House, no bairro Nolita, e o Chelsea International Hostel.

Outra opção é um dos hotéis de Long Island City, que fica no bairro Queens (e não no estado de Long Island), bem perto do Rio East e, consequentemente, bem perto da ilha de Manhattan. Por ali, você consegue se hospedar a 150 dólares por noite ou até menos — um preço bem barato em comparação aos praticados em hotéis em outros lugares da cidade.

2. Que tal experimentar o Airbnb?

Outra opção de hospedagem que pode sair mais em conta é o Airbnb, principalmente se você não ficar em Manhattan. Nessa plataforma, você pode alugar um quarto compartilhado ou privativo, ou ainda um apartamento ou casa inteira direto com o proprietário. Uma boa dica é checar os comentários de quem já se hospedou no local e buscar proprietários com boa reputação.

3. Evite os passeios culturais caros

Como você já deve imaginar, ir aos maiores pontos turísticos de Nova York pode pesar no bolso e, se você quiser ver um musical da Broadway, então prepare-se: as atrações mais badaladas custam a partir de 100 dólares e os preços podem chegar a quase 300 dólares, dependendo da apresentação e da localização do assento (e é claro que os mais baratos esgotam primeiro).

Portanto atenha-se aos passeios de graça ou de custo reduzido, se você quiser aproveitar o melhor da cidade sem se comprometer financeiramente pelos próximos meses depois da viagem.

4. Passeie pelas ruas

Alguns dos maiores pontos turísticos de Nova York são justamente suas ruas, pois, caminhando por elas, você se depara com locais históricos importantes e figuras típicas da cidade, além de sentir toda a energia do local.

Para quem não sabe muito bem por onde andar, a Free Tours by Foot organiza diferentes caminhadas pela cidade com guias turísticos. Os tours são de aproximadamente duas horas, cobrindo uma distância de cerca de 1,5 km. No fim do passeio, recomenda-se uma gorjeta ao guia.

5. Conheça os parques

Além do Central Park — conhecido mundialmente e que vale muito a visita, com seus lagos, campos de esportes e zoológico —, você deve conferir o High Line, criado depois do esforço de mais de uma década por parte de moradores locais. O parque fica nos trilhos elevados de uma linha de trem de carga, criada na década de 1930 e abandonada na década de 1980, a qual passa por diversos quarteirões na região oeste da cidade.

Visite também o Prospect Park, onde está o Jardim Botânico do Brooklyn, com belas cerejeiras.

6. Chegue perto da Estátua da Liberdade… de graça!

Você não paga nada para pegar o barco Staten Island Ferry e chegar pertinho do maior ponto turístico de Nova York!

De outra forma, os ingressos para a Estátua da Liberdade, com o barco saindo de Manhattan, custam de 18 a 21 dólares, dependendo se você vai ficar no nível do solo ou se vai subir os 162 degraus até a coroa da estátua (para esse último ingresso é preciso fazer uma reserva antecipada). Dependendo se o dólar está em alta e se você vai pagar por mais de um ingresso, fica mais atraente a gratuidade do Staten Island Ferry.

7. Visite Williamsburg, no Brooklyn

Recentemente, Williamsburg virou um point badalado de Nova York, oferecendo uma experiência alternativa às grandes marcas de Manhattan e contando com um ar de cidade nórdica europeia.

Para chegar até lá, o passeio mais bonito e divertido é com o barco East River Ferry, que tem passagem barata e chega em poucos minutos saindo de Manhattan. Na volta, caminhe pela ponte do Brooklyn, andando por cerca de meia hora apreciando uma vista belíssima de Manhattan, ou pegue o metrô.

8. Vá de Wall Street a Red Hook sobre as águas

O barco Ikea Ferry — que tem sua passagem de graça nos finais de semana, mas mesmo em dia de semana é barato —, passa próximo de Wall Street indo até Red Hook, no Brooklyn, onde há uma arquitetura pós-industrial descolada, com restaurantes e lojas da última moda, incluindo a megastore moveleira sueca Ikea, que dá nome ao barco que leva até ela.

9. Veja a cidade de cima

Algumas das vistas mais bonitas de Nova York são as que se tem de cima dos prédios. No entanto, subir nos mais famosos, como o Empire State Building, o Rockefeller Center ou o novo One World Trade Center, pode sair caro: os ingressos mais baratos para o alto de cada uma das construções custa em torno de 30 dólares.

Sem abrir mão de ver a cidade do alto, você pode subir de graça no topo de prédios onde estão restaurantes e bares, e apenas gastar com um ou dois drinks (fazendo-os render) enquanto aproveita a vista.

Algumas opções são o topo do Standard Hotel, que tem um bar com DJs ao vivo, e o 230 Fifth Rooftop Bar, um estabelecimento que fica no alto de um prédio da 5ª Avenida, com um lounge fechado na cobertura e um belo jardim a céu aberto. Se estiver em Williamsburg, no Brooklyn, suba no bar The Ides, no topo do Wythe Hotel, para uma vista sem igual da cidade.

10. Visite museus pagando quanto quiser

Dedique um dia para visitar cada museu e desfrutar o que eles oferecem de melhor. Planejando-se, você pode não gastar muito com isso. Por incrível que pareça, a entrada do Metropolitan Museum of Art (The Met) tem o valor recomendado de 25 dólares, mas, apesar dessa informação passar um tanto desapercebida, você pode pagar quanto quiser.

Outros museus que vale a pena checar são o Whitney Museum of American Art (você pode pagar quanto quiser nas sextas, das 19h às 22h) e o Museum of Modern Art (MoMA), com entrada gratuita nas sextas, das 16h às 20h. Mas prepare-se para possíveis filas: como você, muitos turistas e nova-iorquinos podem ter a mesma ideia de ir ao museu pagando menos nesses horários e dias específicos.

11. Visite o memorial de 11 de setembro

O 9/11 Memorial está aberto diariamente, desde o começo da manhã até de noite, no local onde ficavam as torres do World Trade Center. O ingresso para o museu custa 24 dólares (há outras modalidades de tours mais caras), mas a entrada é de graça nas terças, a partir das 17h.

Informe-se no site oficial de cada museu sobre se é preciso chegar com antecedência para conseguir os ingressos gratuitos ou para evitar filas.

12. Aproveite as piscinas públicas gratuitas no verão

No verão (entre junho e agosto), vários estabelecimentos disponibilizam gratuitamente dezenas de piscinas a céu aberto e muitas delas são enormes. A Astoria Pool, no Distrito Flatiron, a Floating Pool, no Bronx, a McCarren Park Pool, em Williamsburg, a Hamilton Fish Pool, no Lower East Side, e a John Jay Poll, no Upper East Side, são algumas das mais recomendadas.

Não esqueça de levar um cadeado para o guarda-volumes: sua entrada pode não ser permitida sem esse item. Muitos desses lugares oferecem toalha de graça, então é bom se informar sobre isso para carregar menos peso no passeio.

13. Conheça a cidade em duas rodas

Se você curte andar de bicicleta, vale a pena checar os preços e condições de aluguel das compartilhadas Citi Bikes. Compare-os com o aluguel em diversos bicicletários pela cidade para fazer o melhor negócio. A melhor ciclovia é a que passa por todo o oeste de Manhattan, ao lado de Rio Hudson.

14. Aproveite os shows de graça no Prospect Park

Também no verão, shows gratuitos acontecem todo sábado à noite no Prospect Park, mas podem ser feitos inclusive em outras noites da semana. No palco do festival de música Celebrate Brooklyn sobem bandas de estilos variados, muitas conhecidas internacionalmente. Nesse mesmo parque há também um Jardim Botânico e um zoológico.

15. Coma na rua

Uma das particularidades culturais mais interessantes de Nova York são as comidas de rua — como tanto vemos em filmes e seriados americanos — e elas são realmente baratas. Aproveite também as delis, mercearias onde você pode comprar comida para levar. Tudo isso porque comer em um restaurante nova-iorquino comum pode sair caro demais, se todas as refeições forem feitas ali.

16. Conheça os restaurantes baratos

Na 9ª Avenina, entre as Ruas 46 e 43, há vários restaurantes baratos. Para não passar aperto correndo o risco de escolher um local de má qualidade, busque guias com os restaurantes baratos mais recomendados da cidade, chamados de “cheap eats”.

17. Faça tours em cervejarias

Para os amantes de cervejas, vale a pena se informar sobre tours de cervejarias locais, como a Chelsea Brewing Company e a Brooklyn Brewery. A primeira é a maior microcervejaria de Manhattan e oferece tours de graça, mediante reserva, e ainda amostras de cervejas. A segunda, conhecida internacionalmente, faz tours gratuitos nos finais de semana. Informe-se no site de cada cervejaria sobre como proceder para ir aos tours gratuitos.

PARA VOCÊ