15 motivos para a Patagônia ser o seu próximo destino de viagem

Escrito por Clara Fagundes

É difícil imaginar alguém que ame viajar e não sonhe em conhecer a Patagônia. O território é o terceiro em extensão de gelo no mundo com 23 mil quilômetros quadrados cobertos pela neve, ficando atrás somente das duas regiões polares. A região é dividida entre dois países: o Chile e a Argentina, cada fração sendo conhecida, respectivamente, como Patagônia chilena ou Patagônia argentina.

Rica em recursos naturais e conhecida por suas paisagens de tirar o fôlego, é fácil compreender o fascínio que o território causa nos viajantes. A Patagônia é bastante procurada pelos adeptos do turismo de luxo e por casais em lua de mel. Se você está procurando um destino que te faça fugir de tudo e seja algo diferente de tudo o que já viu, essa matéria é para você.

Onde fica a Patagônia?

A Patagônia abrange um terço dos territórios do Chile e da Argentina e fica na parte mais austral da América do Sul. Em outras palavras, é a região mais ao sul do continente.

A Patagônia chilena inclui a parte sulina da Valdívia, as ilhas ao sul das regiões de Aisén e Magallanes, a área de Los Lagos e o sítio arqueológico de Monte Verde. Já a argentina abrange as províncias de Neuquén, Río Negro, Chubut, La Pampa e Santa Cruz, além da outra parte da Valdívia. Consequentemente, o lado leste da Terra do Fogo.

Qual a melhor época para ir à Patagônia?

IStock

Como é o caso da maioria dos destinos turísticos, a melhor época para ir à Patagônia depende da experiência que você espera ter por lá.

Durante o verão, a temperatura é mais amena (não espere calor ao viajar para a Patagônia) e os dias são mais longos, o que aumenta o tempo de luz para aproveitar a viagem. Com o sol se pondo depois das 22h e temperaturas médias que variam entre 13°C a 20°C, é uma ótima estação para quem pretende aproveitar melhor o ar livre. No entanto, este período reserva ventos tão fortes que chegam a 120km/h. Nada que entrar no carro ou em algum lugar fechado e esperar que passe a ventania não resolva.

A primavera é outra ótima estação para os que querem apreciar os lagos, trekkings e caminhadas. As temperaturas são um pouco mais baixas do que o verão, mas há o desabrochar da fauna e da flora, modificando completamente as paisagens da região. De maneira semelhante, mas com clima mais frio e com muito mais tons alaranjados ao redor, há o outono. Essa é a estação com o pôr do sol mais bonito e é muito romântica, ótima para os casais. O único porém é que ela traz também o período mais chuvoso da Patagônia.

Já o inverno compreende praticamente tudo o que qualquer viajante imagina ao pensar na Patagônia. O território vira um espetáculo natural com centenas de milhares de quilômetros quadrados. Os dias encurtam, já que o sol nasce às 9h e se põe às 17h, e os arredores parecem pintados de branco. Por outro lado, os ventos ficam mais fracos e os dias são ensolarados, embora a temperatura mínima chegue a 0°C. Nos meses de julho e agosto, auge do inverno, muitos estabelecimentos fecham devido ao volume da neve. É uma boa informação para se ter em mente.

15 atrações na Patagônia para incluir em seu roteiro

Quer conhecer uma paisagem diferente de tudo o que já viu? Prefere ter menos frio para aproveitar melhor os passeios ao ar livre? Sempre quis ver pinguins de perto? Ou está a fim de uma fuga romântica regada a vinhos e friozinho agradável? Saber de antemão as atrações imperdíveis do seu destino vão te ajudar a formar a viagem dos seus sonhos, em qualquer estação do ano. Confira 15 delas:

1. Isla Martillo

IStock

Atração mais famosa da Patagônia, a Isla Martillo, também conhecida como pinguinera, fica no Canal do Beagle e recebe colônias de pinguins em seu período de reprodução. Os animais migram para lá a partir de outubro até o meio de abril, sempre no período mais quente do ano. Ainda que o apelo já seja suficiente por si, a ilha ainda possui belas praias e é cercada por montanhas cobertas de verde. Para desembarcar por lá, você precisa procurar a PiraTour, a única empresa que tem autorização de levar visitantes para dentro da ilha.

2. Parque Nacional Los Glaciares

IStock

Lar de quase metade da extensão de gelo de toda a Patagônia, o Parque Nacional Los Glaciares foi declarado pela Unesco como Patrimônio da Humanidade em 1981. Fica no lado argentino do território e resguarda cerca de 600.000 hectares da fauna e da flora da região.

3. Glaciar PeritoMoreno 

IStock

A geleira Perito Moreno é a mais famosa entre cerca de trezentos glaciares em toda a extensão de gelo patagônica. É também a mais acessível de carro, portanto, a mais frequentada no Parque Nacional Los Glaciares.

4. El Chaltén

IStock

Apelidada de capital nacional do trekking, o vilarejo mais antigo da Argentina tem somente 600 habitantes, mas recebe muitos turistas anualmente. Charmosa, com ótima infraestrutura e hotelaria bem preparada, é a cidade mais próxima da montanha Fitz Roy.

5. Fitz Roy

IStock

Localizada na região da Cordilheira dos Andes, Fitz Roy (também chamada de Cerro Chaltén) é uma das mais belas montanhas da Patagônia, com uma vista estonteante. Mas cuidado! O local é conhecido por ser um dos mais difíceis de escalar do mundo — busque todas as informações necessárias com guias turísticos em El Chaltén para evitar acidentes.

6. Rota dos Sete Lagos

IStock

A rota dos sete lagos está na Patagônia argentina e é um trecho de 108 quilômetros da Ruta 40, que liga Villa La Angostura e San Martín de los Andes, em Neuquén. Em detrimento do seu nome, não passa só por sete lagos. Lácar, Machónico, Falkner, Villarino, Escondido, Correntoso e Espejo são os lagos visíveis da estrada em roteiros básicos. Mas é possível conhecer também Espejo Chico, Hermoso, Traful e Nahuel Huapi, sem grandes desvios necessários.

7. Isla Victoria

IStock

A maior ilha do lago Nahuel Huapi geralmente é visitada de barco no mesmo passeio que leva ao Bosque de Arrayanes. Abriga um viveiro de coníferas e várias trilhas fáceis, que podem ser realizadas por pessoas de todas as idades. Um destino ideal para se reconectar com a natureza.

8. Tierra del Fuego

IStock

A visita ao Parque Nacional Tierra del Fuego costuma durar metade de um dia, e é combinada com um passeio de catamarã pelo Canal do Beagle ou uma visita de barco à Isla Martillo. O parque foi criado em 1960 com o objetivo de proteger a flora e a fauna da região, incluindo as colônias de castores da Baía de Lapataia.

9. Laguna de Los Tres

IStock

Ao contrário das trilhas da Ilha Victoria, a subida para a Laguna de Los Tres exige preparação física e fôlego. Partindo de El Chaltén, são 25km que costumam ser percorridos em 8 ou 9 horas de caminhada. Ainda assim, vale a pena: todo o caminho é lindo e a vista da chegada é mais ainda. Aproveite o longo percurso para apreciar a paisagem.

Dica imperdível: uma vez no destino final, não deixe de visitar também a Laguna Sucia, um paraíso de águas muito verdes que fica logo ao lado.

10. Neuquén

IStock

Neuquén abriga algumas atrações de inverno imperdíveis: Cerro Bayo, a pista de esqui em Villa La Angostura e as adegas Bodega del Fin del Mundo, Familia Schroeder e NQN, que colaboraram para fazer de lá uma região vinícola, embora menos afamada que Mendoza.

11. Lago Pehoé

IStock

Esse lago de águas cristalinas que parece mais um cenário de cinema é um ótimo local para praticar a pesca esportiva ou apenas contemplar as maravilhas da natureza. Está localizado no Parque Nacional Torres del Paine, na região de Magallanes, no sul do Chile.

12. Ushuaia

IStock

A cidade mais austral do planeta e a última da América do Sul. Apelidada de Terra do Fogo ou cidade do fim do mundo, ela é a mais importante da fração argentina da Patagônia. Abriga muitas espécies oceânicas, como leões marinhos e pinguins, além de estações de esqui e opções para quem ama esportes radicais. É um destino romântico incrível para um casal em lua de mel ou que deseja comemorar uma data especial.

13. El Calafate

IStock

Uma pequena vila da província de Santa Cruz, também na Patagônia argentina. Possui cerca de 21 mil habitantes e uma vasta oferta de restaurantes, lojas e hotéis. Lota durante os meses de verão, principalmente pela sua proximidade do glaciar Perito Moreno.

14. Parque Torres del Paine

IStock

Talvez, a atração mais popular da Patagônia chilena. Nomeado como Reserva da Biosfera pela Unesco desde 1978, o parque oferece cenários deslumbrantes, estrutura para esportes radicais e até alternativas para quem viajantes que buscam turismo de luxo. É apontado por muitos como o parque mais bonito do país.

15. Lago General Carrera

O Lago General Carrera é o segundo maior lago do continente, com seus mais de 970 quilômetros quadrados de área. Suas águas são compartilhadas entre Chile e Argentina, embora na Argentina seja conhecido como Lago Buenos Aires. É uma atração naturalmente linda, além de preparada para receber turistas.

E então, decidiu colocar a Patagônia na lista dos lugares para visitar o mais rápido que der? E, se você já foi para lá, conte um pouco sobre a sua experiência nos comentários!

PARA VOCÊ