20 cachoeiras em São Paulo para você desestressar

Escrito por Sheila Almendros

São Paulo pode até ser conhecida como a Selva de Pedra, mas no meio do caos urbano é possível encontrar maravilhas naturais para desacelerar e relaxar. E você nem precisa ir muito longe, acredite. As cachoeiras em São Paulo, encontradas nos extremos da capital e também em suas adjacentes são uma comprovação de que este é o destino que atende todos os tipos de turistas (e moradores também).

Conheça a seguir 20 atrações de quedas d’água dos mais variados tipos em São Paulo: das trilhas mais complexas para os aventureiros de plantão a espaços reservados de fácil acesso para curtir com toda a família.

1. Cachoeira do Saltão, Brotas

A trilha até a Cachoeira do Saltão é paga, de fácil acesso e pode ser percorrida em menos de 10 minutos. Durante o trajeto, é possível curtir outras cachoeiras da região, como a de Ferradura e Monjolinho. A recompensa final é incrível: um imponente cânion com a mais alta queda d’água da região. Uma tirolesa é montada aos finais de semana, e o restaurante do local também fica aberto para atender os seus visitantes. Quem quiser estender a estadia pode contar com o camping do próprio complexo.

2. Cachoeira da Graça, Cotia

A Cachoeira da Graça faz parte da Reserva Florestal do Morro Grande e é considerada pela UNESCO o patrimônio da Humanidade e Reserva do Cinturão Verde de São Paulo. A trilha de acesso tem um percurso fácil, com uma fauna e flora que merece a sua atenção. Não há infraestrutura para atender os visitantes e é necessário levar comes e bebes para quem deseja passar o dia todo por lá. Com o número crescente de pessoas circulando pela região, o lixo deixado por lá aumentou consideravelmente, portanto, faça a diferença e recolha tudo o que é seu antes de ir embora, ok?

3. Cachoeira dos Veados, Parque Nacional da Serra da Bocaina

Na divisa de São Paulo e Rio de Janeiro está o Parque Nacional da Serra da Bocaina, espaço onde a Cachoeira dos Veados faz parte. São 5 horas de percurso de média dificuldade na Trilha do Ouro para chegar até as quedas d’água de aproximadamente 200 metros. Algumas regrinhas básicas são impostas para circular no local: é necessário a contratação de um guia, artigos para camping, agendamento prévio e autorização do IBAMA.

4. Cachoeira do Sol, Monte Alegre do Sul

Pertinho de Campinas está a cidade de Monte Alegre do Sul e suas 4 quedas d’água. A Cachoeira do Sol é uma das opções com melhor infraestrutura. Você paga uma taxa de 10 reais para acessá-la ou 30 reais para acampar (com direito a café da manhã incluso). Com uma caminhadinha curta e sem muito esforço, é possível alcançar o topo da cachoeira e curtir ainda mais a vista do entorno.

5. Cachoeira Toque Toque Grande, São Sebastião

Chegar até a Cachoeira de Toque Toque Grande é fácil fácil: a trilha é bem tranquila e sem nenhuma dificuldade, bem pertinho da rodovia Governador Mário Covas. Em apenas 3 minutinhos você chegará até estes 25 metros de queda d’água, e apesar de não ter nenhum poço, é perfeita para banho. Separe o repelente e só tome cuidado com os insetos no local — de resto, é só curtir um dia se refrescando em meio à natureza.

6. Cachoeira do Engordador, Parque Estadual Cantareira

Você sabia que a capital paulista também reserva ótimos lugares com cachoeiras incríveis? E é no Parque Estadual Cantareira que fica a Cachoeira do Engordador, um local acessado por meio de uma trilha mediana, percorrida em uma hora e meia. Pelo percurso você ainda encontrará duas outras quedas d’águas, e todas elas são liberadas para o banho. É cobrada uma pequena taxa de acesso, e os horários podem alternar de acordo com a temporada (em dezembro e janeiro, por exemplo, a cachoeira está aberta todos os dias, enquanto nos outros meses, somente aos sábados, domingos e feriados). Não é permitido acampar no local.

7. Queda de Meu Deus, Eldorado

Eldorado possui belíssimas cachoeiras e a Queda de Meu Deus é somente uma delas. Dizem que o nome desta atração deve-se ao fato de que é impossível não exclamar tal frase ao se deparar com os seus 53 metros de queda d’água. Você pode acessá-la por um caminho de dificuldade mediana, porém mais curto (uma hora de percurso), ou pela trilha completa, que contempla 11 outras quedas e algumas atrações adicionais da localidade. Como neste último é necessário a presença de um guia, você precisará pagar uma taxa de 50 reais.

8. Cachoeira de Marsilac, Engenheiro Marsilac

Se a ideia é curtir uma cachoeira com a criançada sem precisar atravessar uma trilha, eis a sua opção ideal. A Cachoeira de Marsilac fica pertinho do centro de Engenheiro Marsilac (são apenas 6 quilômetros) e é possível ir de carro até a sua margem, dentro da Área de Proteção Ambiental Capivari-Monos. Uma pequena taxa (bem pequena mesmo) é cobrada para acessá-la, e te dará o direito de curtir a paisagem, nadar e até praticar esportes náuticos, como stand up paddle e canoagem. Não é possível acampar no local.

9. Cachoeira do Itambé, Cássia dos Coqueiros

Quem deseja se desligar do mundo deve incluir a Cachoeira do Itambé no roteiro, na pacata cidade de Cássia dos Coqueiros. O local é o principal cartão postal do município e possui uma queda de 84 metros. Como a atração está em uma área particular, é possível encontrar toda uma infraestrutura para receber os turistas, como banheiros, água encanada, bar, churrasqueiras e espaço para acampar. A trilha dura em torno de 30 minutos e, em alguns trechos, o solo íngreme pode dificultar um pouquinho.

10. Cachoeira da Toca, Ilhabela

Localizada na Praia dos Castelhanos, a Cachoeira da Toca é um espaço natural com diversas atrações que encantam adultos e crianças. Há um tobogã de pedras com quase 50 metros de extensão — e há quem diga que passar repelente no corpo aumenta a emoção na hora de percorrê-lo — a gruta que dá o nome ao local é perfeita para relaxar, depois de um banho nas piscinas naturais, ou na queda d’água de mais de 3 metros. Durante a alta temporada, algumas atividades são promovidas no local, como tirolesa, arvorismo, rapel e escalada.

11. Cachoeira do Jamil, Engenheiro Marsilac

Há toda uma dificuldade para acessar a Cachoeira do Jamil: ela é distante de tudo, com trilha de nível médio e longa (pode até ser feita de bike, caso o teu preparo físico esteja em dia) e é preciso pagar uma taxa para acessá-la. Caso queira ter uma experiência mais completa, há empresas especializadas que cobram uma taxa mais cara, mas oferecem todo suporte necessário (a SelvaSP é uma delas). E tudo isso faz valer a pena, pois o local é totalmente preservado, e há regras rigorosas para manter tudo em seu devido lugar: não pode fazer muita algazarra, é proibido fazer churrasco e todo o seu lixo deverá ser levado embora junto com você. Durante o verão, é liberado acampar por lá, mas não há infraestrutura alguma, portanto, você deverá levar tudo, principalmente comida e água.

12. Cachoeira do Toldi, São Bento do Sapucaí

O mais legal da Cachoeira do Toldi, a principal atração de São Bento do Sapucaí, é que a trilha tranquila de 30 minutos, partindo do KM 13 da Estrada do Paiol Grande. Dá para o alto da queda, e não para o poço. Lá você terá uma visão privilegiada do entorno, e claro, da própria cachoeira de um ângulo diferente. O local está situado dentro de uma propriedade particular, e algumas opções de hospedagens são oferecidas.

13. Cachoeira do Sagui, Emburá do Alto

Emburá do Alto fica na zona sul de São Paulo, e lá fica a encantadora Cachoeira do Sagui, especificamente em uma propriedade particular. Há duas opções para chegar até ela: você pode percorrer uma trilha curtinha, muito bem sinalizada, em 20 minutos de caminhada, ou adicionar uma pitada de adrenalina ao passeio e executar a trilha completa, com 4 horas de duração e outras atrações pelo percurso, como as cachoeiras Oásis e Raio de Sol. Nesta última é necessário marcar hora com um guia para não se perder, e os valores podem mudar de acordo com a preferência de percurso.

14. Cachoeira do Pimenta, Cunha

Esta antiga usina hidroelétrica de Cunha possui cerca de 90 metros de queda d’água e pode ser acessada de duas maneiras: deixar o carro na estrada, onde a cachoeira é avistada, e descer por uma trilha de terra, ou percorrer um caminho de carro até a base da atração, onde ficava a usina. Aproveite para se refrescar no poço ou nas piscinas naturais entre as pedras, e também conhecer o Mirante Ambiental e o Museu da Energia.

15. Cachoeira do Elefante, Parque Estadual da Serra do Mar

Logo na estrada Mogi-Bertioga avista-se esta grande cortina de água — a Cachoeira do Elefante é a mais famosa de Biritiba Mirim, e é acessada por uma trilha difícil de 9 km. São aproximadamente 30 metros de queda d’água agressiva, que chega a intimidar alguns visitantes que desejam se refrescar em seus poços mais tranquilos. Fazer este passeio será certamente uma aventura para os mais experientes!

16. Poço Azul, Serra da Mantiqueira

É na cidade de Lavrinhas, na divisa de São Paulo e Rio de Janeiro, que fica o Poço Azul e suas águas cristalinas. A trilha de acesso é de média dificuldade e é aconselhado percorrê-la com a ajuda de um guia e evitá-la em dias de chuva. O percurso conta com diversas outras atrações, como hidromassagens naturais próprias para o banho. Só tome cuidado com as aranhas e cobras pelo entorno, e também onde a água fica mais agressiva por conta da correnteza. De resto, é só curtir a paisagem e as boas energias em meio a natureza.

17. Cachoeira do Cabuçu, Parque Estadual Cantareira

No Parque Estadual Cantareira, precisamente no núcleo Cabuçu, em Guarulhos, fica esta incrível queda d’água. A trilha é um pouco maior e mais difícil que a vizinha Engordador (cerca de 3 horas de caminhada), porém o percurso é encantador. Você encontrará não só uma barragem, mas também uma vegetação de tirar o fôlego! Por lá não é possível acampar, mas há um espaço para piquenique.

18. Cachoeira do Paraíso, Peruíbe

Esta atração fica a apenas 25 km do centro de Peruíbe, no litoral paulista, precisamente na Estação Ecológica Jureia-Itatins. Como o local é um dos pontos turísticos mais acessados da cidade, é necessário chegar cedo, principalmente no verão, pois há um controle rigoroso com o número de pessoas no parque. A trilha é curtinha (apenas 350 metros) e a cachoeira conta com 17 metros de queda d’água para o visitante se refrescar.

19. Cachoeira da Pedra Furada, Serra do Mar

Situada na cidade de Biritiba Mirim, a Cachoeira da Pedra Furada é um destino perfeito para iniciantes de trekking e amantes da natureza. Ela fica apenas 51 km de distância da capital paulista e é rodeada por Mata Atlântica intacta. A trilha de acesso é de fácil a moderada (um percurso de 6 km que pode ser feito entre 2 a 3 horas) e sem nenhuma infraestrutura para acampamento. Ao curtir os 2,5 metros de queda d’água, se atente à profundidade dos poços – eles podem chegar a até 4 metros.

20. Cachoeira do Prumirim, Ubatuba

Ubatuba oferece algumas das praias mais lindas do litoral paulista e também esta deliciosa cachoeira, uma das mais populares da região. O acesso fácil é o principal chamariz de turistas que desejam curtir um dia inteiro nas piscinas naturais e um tobogã formado pelas pedras — basta pegar a Rio-Santos a caminho de Paraty, e no km 30 caminhar por uma trilha de cinco minutos (tome cuidado, pois alguns pontos do percurso são escorregadios). Há alguns poucos campings pelas redondezas para quem desejar se hospedar perto deste paraíso.

E aí? Qual será o seu destino no próximo dia de folga?

PARA VOCÊ