Borgonha: o melhor dos vinhos, gastronomia e arte na França

Escrito por Gabriella Soares

Se você gosta de conhecer outras culturas por sua gastronomia, Borgonha é o lugar certo para você. Com vinhos mundialmente famosos e comidas que não deixam a desejar, a região conhecida como o coração da França tem muito a oferecer para quem deseja relaxar e aproveitar o melhor da vida. Que tal conhecer um pouco mais e já planejar sua próxima viagem?

Mapa

A região histórica de Borgonha-Franche-Comté fica entre a cidade de Paris e de Lyon, na parte centro-leste da França. Atualmente, o território conta com oito micro-regiões e mais de 2,8 milhões de habitantes. A capital regional é a cidade de Dijon.

Como chegar

Borgonha não tem um aeroporto, então a forma mais simples de chegar à região é ir a partir do aeroporto de Paris. De lá, é possível realizar três caminhos diferentes: de carro, de trem ou de ônibus.

Você pode alugar um carro e percorrer os 340km, pagando apenas um pedágio. A estrada é tranquila e leva de 3 a 5 horas de viagem. Outra possibilidade é o trem, que varia de preço se é expresso ou regional, e leva em média 3 horas de viagem até Dijon. Já o ônibus leva 5 horas, mas é a opção mais barata: entre 15 e 25 euros, dependendo da empresa, que pode ser a Flexibus – mais frequente e cara, em média € 20 – ou a Ouibus – menos frequente e mais barata, em média € 16.

Quando ir

A melhor época para visitar Borgonha é durante o verão e a primavera, entre maio e setembro, que apresenta temperaturas amenas e favoráveis ao vinho. Para fazer tours pelas famosas vinícolas da região é aconselhável ir antes de setembro, já que durante esse mês é o ponto alto da colheita e maioria das vinícolas são fechadas para visitantes.

Mas se seu objetivo é aproveitar mais as cidades de Borgonha e não tanto o vinho, a melhor época para a sua viagem é entre setembro e dezembro. Durante o outono, as cidades ficam mais tranquilas, com menos turistas. É possível aproveitar a cidade com mais calma e com preços menores também.

Principais atrações

Além dos vinhos, Borgonha apresenta diversas atrações para serem aproveitadas o ano inteiro. As opções vão desde palácios da antiga monarquia francesa, mirantes, parques e museus. As cidades e vilas que compõem a região são o grande atrativo e garantem diversão e encanto:

Dijon

O primeiro contato que a maioria das pessoas tem com Borgonha é a sua capital administrativa Dijon. É possível conhecer um pouco mais da cidade por meio de um roteiro chamado Percurso da Coruja, disponível em diversos idiomas em qualquer posto de atendimento a turistas por apenas alguns euros. A opção de guia de turismo custa pouco mais de 10 euros. Mas com esse pequeno roteiro é possível conhecer uma boa parte da história, arquitetura e dos marcos da cidade.

Alguns desses pontos é o Jardim Darcy, a Ponte Guillaume, que lembra o Arco do Triunfo, o Palais des Ducs et des États, lar dos antigos duques da região, e o Museu de Belas Artes. Além disso, a Catedral de Notre Dame, mais antiga que até mesmo a catedral parisiense, é um ponto importante da cidade, atraindo muitos turistas para a estátua capaz de realizar pedidos. Vale a pena conferir!

Vézelay

Um dos vilarejos mais charmosos da Borgonha, Vézelay conta com belos vinhedos, campos e casas medievais. Um dos maiores atrativos é a beleza natural do local, como a “colina eterna”, onde fica a vila. Nessa colina ocorreu importantes momentos da história do cristianismo, como a concentração para as Cruzadas.

Vézelay foi o palco de outras importantes histórias medievais e segredos religiosos: é ali que fica a Basílica Santa Maria Madalena. Foi nessa basílica que supostas relíquias de Maria Madalena foram expostas na Idade Média. É possível observar parte dessa rica história no Museu Zervos – a entrada custa entre 4 e 8 euros – e por todo o vilarejo.

Beaune

Depois de Dijon, Beaune é a cidade com maior apelo aos turistas. Além de ser considerada a capital do vinho da Borgonha, Beaune reúne charme único: as muralhas que rodeiam toda a cidade fazem com que, durante a noite, os turistas sejam agraciados com um show de luzes que por si só já vale a viagem.

Mas a maior atração é o Hospices de Beaune, um hospital do século XV que conta com uma arquitetura gótica, telhas coloridas e belos murais, além de obras artísticas e sacras. O local é aberto à visitação durante todos os dias da semana, das 9h às 17h30, e a entrada custa em torno de € 10.

Auxerre

Auxerre é uma cidade em que se respira história e arte. Nela, é possível encontrar algumas das artes plásticas mais antigas da França, além de relíquias religiosas. É possível ver diferentes obras na Catedral de St-Etienne, que fica aberta todos os dias das 8h30 às 18h. É possível ainda participar das missas católicas que ainda são celebradas na catedral.

Além de St Etienne, Auxerre conta ainda com 35 monumentos históricos e três museus. Um desses monumentos é La Tour de l’Horloge, a torre do relógio do portão da antiga Paris. A construção do século XV conta ainda com um museu e é aberta a visitações de segunda a sexta, das 9h às 17h.

Parc Naturel Régional du Morvan

Borgonha também é uma região com muitas belezas naturais. O Parc Naturel Régional du Morvan se localiza principalmente na cidade de Nièvre, entre Paris e Lyon. O parque regional concentra uma variedade de atrações, como museus, parques, monumentos e jardins. A forma mais fácil de ter acesso ao parque é de carro por trilhas determinadas, condição para proteger a vida animal do local. Também é possível fazer trilhas, nadar e acampar todos os dias de forma gratuita.

Chalon-sur-Saône

A cidade de Chalon-sur-Saône costumava ser o ponto de encontro entre as diversas regiões romanas e um importante centro comercial de Borgonha. Mas é por outro motivo que hoje o local atrai muitos turistas: a fotografia. Chalon-sur-Saône é o berço do inventor da tecnologia fotográfica, Nicéphore Niepce, e o museu da cidade é dedicado ao feito, que é aberto à visitação gratuita de quarta a segunda, das 9h30 às 17h45.

Outra atração característica da cidade é a Fête des Fous, o Carnaval de Chalon. A festa de rua acontece por uma semana e sempre conta com cavalos e carros alegóricos, além de festivais artísticos. O Carnaval ocorre sempre no mês de fevereiro ou no começo de março.

Château de Pommard

Na região da Cotê D’Or, na Borgonha fica a vinícola de Château de Pommard. O grande diferencial do local é que para além do vinho, há uma rica cultura arquitetônica, artística e histórica. A Château possui lindos jardins, um museu relacionado ao vinho e uma galeria de arte.

Também é possível realizar degustação de vinhos e existe a opção de visitação guiada. A Château de Pommard é aberta todos os dias, das 9h30 às 18h30, de março a novembro, e das 9h30 às 17h30, de dezembro a fevereiro. Os valores dependem das atividades e são a partir de € 25. Reservas aqui.

Essas diferentes cidades e locais proporcionam ao visitante conhecer Borgonha para além de seus vinhos. Arte, arquitetura, história e aventuras também fazem parte da região francesa. Mas se o que você quer é a experiência da tradição de algumas das vinícolas mais famosas do mundo, há diversos locais e roteiros com os melhores vinhos e oportunidades para relaxar e se divertir.

Vinhos de Borgonha

A mais completa rota dos vinhos de Borgonha é a Grand Crus. As melhoras vinícolas estão na região conhecida como Côte d’Or, um trecho de 60 km entre as cidades de Dijon e Beaune. E nesta rota ainda há a divisão entre os tipos de vinhos: Côte de Nuits (tintos) e Côte de Beaune (brancos). Se desejar, você pode escolher pelo seu tipo preferido ou fazer a rota completa, que leva em média três dias.

A melhor forma de realizar a Grand Crus é utilizar um carro e uma dica importante é evitar as rodovias expressas (as que começam com A) e optar pelas estradas menores (que começam com D). Essa é a melhor forma de aproveitar a paisagem dos vinhedos e das pequenas vilas, além de evitar pedágios.

Outra dica importante é que muitas vinícolas não são abertas a visitantes. Isso porque muitos deles não têm a infraestrutura para receber pessoas. Para garantir que você vai poder entrar, conhecer e experimentar os diferentes vinhos, pode ser uma boa ideia entrar em contato antes.

No entanto, os vinhedos são abertos ao público e contam muito sobre a história da bebida e da região. Para isso, o melhor pode ser contratar tours guiados. Além disso, é possível ainda realizar passeios com bicicletas e até de balão.

Esse é exatamente o tipo de viagem para quem ama apreciar belas paisagens, conhecer e experimentar alguns dos melhores vinhos franceses e comer muito bem.

Onde ficar

O lugar onde você se hospeda em Borgonha pode facilitar ou dificultar a sua viagem. Uma dica para aproveitar o melhor da região é ficar ou na cidade de Dijon ou de Beaune. Dessa forma, você estará mais próximo dos melhores restaurantes, vinhos, monumentos e arte.

Uma boa opção pode ser o hotel Athanor Centre. Localizado no centro de Beaune, o hotel fica em um antigo convento e mistura o design tradicional com o moderno. O hotel Athanor Centre é um estabelecimento simples e tem diferentes valores de diárias, a partir de € 80.

Já o Hostellerie de Levernois é um hotel mais luxuoso, também no centro de Beaune. Esse é um hotel cinco estrelas que conta ainda com um restaurante que tem uma estrela Michelin. As diárias são a partir de € 250.

Mas se você preferir ficar na charmosa capital de Borgonha, Dijon, uma boa opção é o Grand Hotel La Cloche. Localizado no centro da cidade, o hotel cinco estrelas fica em um edifício histórico e tem como base a elegância e a modernidade. As diárias são a partir de € 165, incluso café da manhã.

Essas são as melhores opções de hotéis para ficar próximo dos pontos turísticos de Borgonha. A localização central nas duas principais cidades da região facilita e economiza em relação à mobilidade para todas as atrações francesas.

Restaurantes

Uma das melhores coisas de se ir para a França é aproveitar a renomada culinária francesa. E Borgonha oferece uma lista de restaurantes incríveis para se ter as melhores experiências.

O restaurante Loiseau des Ducs apresenta um ambiente elegante, mas com toques modernos, como mesas na calçada do centro de Dijon. Além disso, o Loiseau foca na culinária francesa tradicional e tem uma estrela Michelin. No almoço é possível encontrar até dois pratos por € 25 e no jantar por € 55.

Outra opção no centro da cidade de Dijon é o La Maison des Cariatides. O restaurante também conta com uma estrela Michelin e tem um ambiente mais sofisticado. É possível pedir um menu degustação por € 62.

Já o Maison Lameloise fica na vila de Chagny, a 16 km de distância Beaune, tem três estrelas Michelin, o máximo de estrelas possível. O ambiente é luxuoso e elegante e a comida segue a tradição francesa com toques regionais. Pratos no almoço custam a partir de € 82 e no jantar € 145.

Borgonha tem tudo para oferecer uma viagem incrível: ótima gastronomia, alguns dos melhores vinhos do mundo, arquitetura, arte e muita hospitalidade. Se quiser dar uma esticadinha na viagem, veja essas fotos de Paris que vão te encantar. Aproveite as dicas e comece já a planejar a sua viagem!

PARA VOCÊ